segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Passos Coelho não quer eleições antecipadas!

Ele não quer! Não quer deixar o país respirar um pouco, sonhar um pouco, enfim discutir o futuro que sabemos ser complicado mas queremos um pouco menos complicado. Com esta postura de recusa de antecipadas, cria cenário para uma maioria absoluta do PS ( o povo é assim , come sempre no mesmo restaurante, mesmo quando mal tratado no passado). ele quer destruir mais um pouco, ressabiar mais um pouco, criar mais pouco de desalento! Por isso fica até ao fim porque não temos povo para correr com ele e com Portas!
A senhora em causa na foto nunca o mandaria à merda e esse é um dos problemas deste povo!

sábado, 18 de outubro de 2014

E a carneirada prepara-se para dar maioria absoluta ao PS...

As sondagens assim o indicam....na Europa há mudanças políticas sérias, os partido do "arco da governação" ( como é hábito os comentadores dizerem) ficam encolhidos a mínima expressão. Em Espanha PP e PSOE juntos não conseguem ter 50 por cento. Na Grecia Siryza pode ganhar próximas eleições, na França é um susto de extrema direita... Enfim algo muda nos eleitores. E por cá? Continuará a eterna pseudo mudança PS-PSD-PS-PSD, etc com ou sem CDS... E cuidado que o PS com maioria absoluta é muito parecidinho com PSD.

A desumanização dos seres humanos e a "humanização" dos animais- retrato da estupidez que vivemos

 
O cenário atual é este: fazem se manifestações ( o caso de Espanha) quando se mata um animal, mas revela-se total indiferença com problemas dos seres humanos, inclusive problemas mortais. a denúncia da ONU da falta de donativos para combater o Ébola é caso mais recente. Não deviam os povos sair à rua exigindo o combate ao Ébola e que os países ocidentais se se chegassem à frente a apoiar os países africanos?  Não deviam os Europeus e Norte americanos sair para a rua a exigir apoio aos países africanos para combate à doença? O caso da Libéria é exemplar: é um país filho dos EUA, feito escravos libertados.... a ligação sentimental há de existir e basta ver a bandeira Libéria, parecida aos EUA. Mas o egoísmo é assim e faz ricochete!
Se for algum cãozinho com problemas que vai para o canil aparecem logo grandes movimentações... no facebook ou noutra plataforma...Este é o sinal da desumanização do ser humano e a pretensa humanização dos bichinhos. O que por aqui defendo é básico, mas polémico nos tempos de ódio que vivemos: as pessoas estão primeiro, quer estejam aqui, em áfrica, ou no fim do mundo...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Alemanha a caminho da recessão, (do blog Causa Operária)

Crise capitalista
Alemanha a caminho da recessão
Crise começa a atingir o coração da zona do euro

 Porto de Hamburg. Exportações alemãs tiveram queda de 1,1% em maio.
A Alemanha está caminhando a passos largos para uma profunda recessão. Na semana passada, foi divulgado que a produção industrial alemã diminuiu 1,8% em maio, em relação a abril. A construção caiu 4,9%, e as exportações 1,1%. Mais ainda do que as exportações, as importações caíram 3,4%. Os títulos alemães estão com o menor rendimento de sua história, e já há economistas que preveem uma recessão da economia alemã ainda esse ano. O PIB da Alemanha depende em 40% das exportações, principalmente par a apropria Europa, em crise. Com a recessão na Alemanha, que começa a despontar, a nova etapa da crise capitalista, que se abriu com o colapso do neoliberalismo em 2008, chega ao coração da zona do euro.
Já faz algum tempo que a Alemanha se transformou numa espécie de lavanderia onde os recursos que migram dos países mais afetados pela crise, são remunerados com taxas de juros baixíssimas e voltam aos países de origem, sob a forma de empréstimos bancários concedidos em cima de taxas muito superiores. O problema tem sido que, para manter o mecanismo funcionando e evitar as enormes perdas derivadas de uma bancarrota, iminente no próximo período, o imperialismo alemão tem aumentado o contágio doméstico. A última grande movimentação nesse sentido foi ter colocado recentemente 80% do sistema financeiro da zona do euro sob o controle direto do BCE (Banco Central Europeu), o que, evidentemente, implica em aumentar o grau de podridão interno da economia para evitar o colapso de países com potencial altamente explosivo, como a Espanha e a Itália.
A intenção inicial do BCE era passar a controlar de maneira direta todos os bancos europeus, mas isso não conseguiu ser efetivado devido principalmente ao altíssimo grau de podridão dos bancos locais, dos Lands.
Os grandes bancos alemães se encontram tremendamente expostos aos títulos podres europeus. O Deutsche Bundesbank (banco central alemão) se encontra altamente expostos aos títulos do BCE, por controlar o grosso dos ativos. O BCE passou a deter, de maneira crescente, títulos podres devido aos empréstimos concedidos aos bancos centrais e privados dos países mais endividados, dos quais tem aceitado como fiança títulos cada vez mais podres. Os bancos alemães são dos mais alavancados (uso de recursos de terceiros) do mundo.
O Commerzbank detém quase 1 € trilhão em títulos dos países chamados PIIGS (Portugal, Itália, Irlanda, Grécia e Espanha), altamente podres e que se tornam facilmente fumaça no caso de bancarrotas, como mostrou o caso da Grécia.
O Deutsche Bank detém em valores nominais de derivativos financeiros nada menos que US$ 50 trilhões, o que equivale a 20 vezes o PIB alemão, uma situação muito parecida com a que levou o Lehman Brothers a detonar o colapso capitalista de 2008. Os bancos europeus, de conjunto, têm um nível de 220 trilhões de dólares em derivados financeiros (CDO e CDs), em valores nominais.
Entre 2008 e 2011, o Deutsche Bank realizou empréstimos ao banco italiano Monte dei Paschi dei Siena e ao Banco do Brasil, somando € 2,7 bilhões. Operações similares aconteceram com o banco franco belga, falido há dois anos, Dexia Bank, o Hellenic Postbank da Grécia e o banco do Qatar AL Khaliji, entre outros. Esses empréstimos fazem parte dos quase € 350 bilhões que o Deutsche Bank mantém como passivo, devido ao alto risco de calote.
O Banco Central Europeu (BCE) está com taxas de juros abaixo de zero para evitar a quebra desses bancos. Dessa maneira, estimula-se a captação de recursos a baixo custo para aplicá-los a seguir em transações especulativas, onde os rendimentos são muito maiores. A mesma situação acontece com os demais bancos imperialistas em escala mundial. Da mesma maneira, para viabilizar lucros com esse volume gigantesco de títulos especulativos, tem sido impulsionado o mercado de títulos altamente podres, apesar dos rendimentos terem caído em três vezes.

A “saída” do imperialismo é aplicar mais neoliberalismo contra as massas, repassando os custos da crise para os trabalhadores. Para isso, a burguesia já começou a impulsionar a extrema-direita na Europa, para conter as massas por meio de regimes de força.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

"Mão pesada", Capicua


704 milhões de euros cortados no Ministério da Educação

Educação leva corte  de 704 milhões de euros

Crato, continua sua saga. Vai fechar mais escolas, vai despedir mais trabalhadores das escolas, vai aumentar o número de aluno por turma ( já está nos 28 por turma). De facto só um povo como o nosso pode aguentar este caminho trilhado. Uma escola pública sem qualidade, é caminho para um futuro de gente burra. Crato não é parvo, nem incompetente: tem uma missão de destruir a Escola Pública! E nisso revela a sua competência destruidora!!

" Não foi possível baixar os impostos para as famílias" mas vai ser possível aumentar o IMI em 2015!

A tanga de que não há aumentos de impostos para 2015 começa a ficar clara quando se lê o projecto de OE 2015. O IMI é um deles e vai doer em 2015, pois acaba a clausula de salvaguarda!