sábado, 31 de dezembro de 2011

Governantes iníquos




 O economista Pedro Lains pergunta:

Você que até é um bocado socialista achava que Sócrates até tinha sido simpático com os mais pobres e que este governo é que lhes está a dar forte e feio? 
Pois, desengane-se, quem tem razão são os que estão à sua esquerda: Sócrates deu forte e feio nos mais pobres - e Passos ainda está a dar mais. 
Uma verdadeira carnificina, incomparável na Europa. Uma vergonha. Até na Grécia, um país institucionalmente mais fraco do que Portugal, as coisas passaram-se de outra forma.


Foram muitas lutas...em 2012 muitas lutas serão!






2012 está a chegar... que o medo se transforme em luta!



Não vale dizer que temos um povo muito corajoso, muito lutador, é tudo uma treta, embora se consigam construir lutas gerais e sectoriais expressivas. No entanto, o medo é maior paralisante da luta, a chantagem sucessiva com o emprego´. O medo é uma arma usada , as medidas sucessivas apresentadas para quebrar a resistencia dos trabalhadores e dos povos. saibamos transformar esse medo, misturada com indignação em luta por um futuro decente e melhor são os votos do tripalio!

Viver acima DAS POSSIBILIDADES, como se Vê!!

Como vai passar o ano?
Em casa, com família e amigos.: 23342
(88%)
Numa festa na rua.: 2188
(8%)
Vou viajar e passar o ano fora.: 981
(4%)




este é o inquérito do sapo que prova que apenas 4 por cento viverão "acima das possibilidades". Muitos hoteis cheios, isto e aquilo, tudo treta é apenas uma minoria...que faz notícia!

Novas Oportunidades: era bom mas acabou se.... e assim 3 mil pessoas ficam desempregadas...

Novas Oportunidades - Aprender CompensaEste governo tinha demonstrado o seu ódio para com as Novas Oportunidades . E vai daí chega o fim deste plano: 2 mil despedidos nos CNOs do MEC e mais mil despedidos no  CNOs do IEFP. três mil para o desemprego e muita formação que fica a meio...

espanha com défice de 8 por cento...

Um défice de 8 por cento. A vice primeira ministra diz que é um desvio ( colossal, diriamos nós) e como tal vão haver "medidas extraordinárias". Onde já vimos este filme?? Ah, pois foi em Portugal... trata se de um guião já muito gasto, mas cada povo acha que é novo. Não é, é tudo estudado e combinado!

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

2012- um país que cai redondo no chão!

Muitos não viram o filme de terror que vem aí. às centenas de despedimentos por dia...entram despedimentos colectivos ás pazdas fora os despedimentos que são selvagens e sem contabilização como despedimentos colectivos...Uma saude a colapsar por vontade do Governo, bombeiros a fechar e a recusar transportes de doentes, IPSS a encerrar ( começam a surgir notícias de encerramentos de IPSS), um filme indescritivel... face a tudo isto a mesma passividade deste povo, a mesma indolencia de empurrrar para os outros a responsabilidade colectiva de lutar... Não podemos emigrar todos, alguem vai ficar por cá! Que irão fazer esses que ficam poe cá? andar à chapada uns contra os outros? Ou controntar quem manda , esta corja de gente porca e que se está a borrifar para o povo... Vem aí o tempo do salve se quem puder e de fazer ainda mais contas. Um país que vai mesmo cair redondo no chão...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Despedimentos no Montepio...com diálogo!

O Montepio já rescindiu contrato com 58 trabalhadores do ex-Finibanco, comprado em 2010, garantindo que tem mantido diálogo com os sindicatos que acusam o banco de despedimento encapotado ao exigir a mudança dos trabalhadores do Porto para Lisboa.Em resposta à agência Lusa, a propósito da exigência aos trabalhadores do ex-Finibanco de transferência para Lisboa, o Montepio informou que até ao momento mais de cinquenta trabalhadores já rescindiram contrato.
«Dos cerca de 200 colaboradores a deslocar, muitos foram colocados na rede comercial na região Norte, outros deslocaram-se para Lisboa, 58 rescindiram o contrato de trabalho e dois foram aposentados», disse hoje fonte oficial do Montepio.
Cerca de quarenta trabalhadores do Montepio Geral/ex-Finibanco manifestaram-se esta manhã no Porto contra as ordens de transferência de mais de 200 trabalhadores dos antigos serviços centrais do Finibanco no Porto e em Rio Meão para Lisboa.
Até ao momento começaram a trabalhar em Lisboa cerca de 40 trabalhadores, enquanto outros que também se deveriam apresentar ao trabalho em Lisboa estão em greve por tempo indeterminado.
Segundo o presidente da direcção do Sindicato dos Bancários do Norte (SBN), Mário Mourão, o que o banco está a fazer é um «despedimento colectivo encapotado» já que «alguns trabalhadores foram forçados a rescindir contrato face à impossibilidade de se apresentarem em Lisboa».
O dirigente sindical recordou, durante a manifestação de hoje, que «esta decisão da administração do Montepio teve já como consequência a rescisão de mais de duas dezenas de trabalhadores por impossibilidade de se apresentarem em Lisboa».
O protesto foi ainda contra o «silêncio» que os sindicatos dizem encontrar na administração do Montepio, liderada por Tomás Correia, o que já originou a «entrada no tribunal de acções contra o Montepio Geral».
O Montepio disse que desde a conclusão da aquisição do Finibanco, em 4 de Dezembro de 2010, que o conselho de administração tem desenvolvido uma «política de diálogo permanente com todos os colaboradores que integravam o Finibanco, garantindo-se o pleno conhecimento dos processos associados à integração da instituição».
O banco adiantou ainda que, desde o momento da compra, todos os colaboradores foram informados de que «não haveria alteração nos serviços centrais do Montepio, que continuariam a funcionar em Lisboa», que «os empregos seriam garantidos, ainda que com necessidade de deslocação» e que as equipas «seriam convidadas a abraçar novos desafios, nomeadamente o desempenho de novas funções em novas situações geográficas».
Segundo o Montepio, o «ajustamento organizacional» foi sempre «comunicado às estruturas sindicais, nomeadamente à Febase [Federação do Sector Financeiro]», em que se integra o SBN. O banco garante ainda que se tem reunido com os sindicatos representativos dos trabalhadores «sempre que solicitado».
Por fim, fonte oficial do Montepio recorda a natureza mutualista da instituição para afirmar que o banco continuará a manter «o diálogo, a negociação e o entendimento necessários à implementação de soluções que permitam concatenar as necessidades da instituição com o respeito devido a cada colaborador».

IEFP promove mil despedimentos... por isso se chama Instituto do (des)Emprego

Aos 214 trabalhadores RVCC que já foram despedidos no dia 28 de Dezembro falta acrescentar os cerca de 8oo trabalhadores dos cno,s que trabalham a recibo verde... que também vão ter o mesmo triste destino... pois estão ligados aos CNOs e como isso é para acabar. Assim o IEFP despede 1000 trabalhadores em duas penadas....
Logotipo
nota de tripalio: por isso despediram 214 tecnicos rvcc e vão despedir mais 800 recibos verdes dos CNO;S . Mil para o desemprego... promovido pelo IEFP!!! Instituto de Emprego... ou melhor Desemprego,,,

O Império do Meio em Portugal


No final do século XX, Portugal "devolveu" Macau ao Império do Meio;

No início do século XXI, a magia da China faz-se sentir em Portugal com muita intensidade !

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Jonh Q, um filme a ver e rever.. quando querem destruir o SNS

Rever este filme e ver toda a injustiça do sistema de saude americano é bom , um abre olhos para muitos adormecidos... vejo este filme sempre com gosto. Um verdadeiro heroi americano!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Carta ao pai Natal, Boss Ac

Mdeira: CDS diz que líder do PSD subscreveu o sequestro da autonomia por muitos ano" E o CDS nacional vendeu o quê?

Líder do CDS-PP/M diz que Jardim assinou a "certidão de óbito da sua governação".O líder do CDS/PP-M, José Manuel Rodrigues disse hoje que o Presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, assinou "a certidão de óbito da sua governação da última década e subscreveu o sequestro da Autonomia por muitos anos".

Realmente este partido joga em dois tabuleiros com muita pinta e com o seu estilo de mentirosos complusivos. No continente abdica se da sobernia com o apoio do CDS, destroi se o país, com o acordo da troika, na Madeira ai,ai que abdicaram da soberania nacional... è muita lata, mas é um povo que anda muito distraido... começo a não ter pena!O CDS Madeira já viu que aquele povinho parvo vai saltar do PSD para o colo do CDS...

100 mil portugueses sairam do país em 2011 ... que consequencias?


100 Mil portugueses sairam do país fartos desta miséria, desta falta de horizontes, desta sempre a mesma treta igual a si mesmo. Uns estavam desempregados outros até estavam empregados mas decidiram apostar num outro futuro, num outro país, numa outra lógica, recebendo mais euros.. Conheço dois ( duas neste caso) que por acaso até trabalham na Administração Pública, tinham vinculo, tinham salário ( pequeno) e decidiram sair... E são dos melhores. São os melhores, os que T~em mais dinâmica e coragem que vão sair, os mais activos. 100 mil ...se para os tempos proximos for igual a dose.. rapidamente temos um país com menos meio milhão de pessoas, um país de velhos, com os jovens a fugir... um cenário triste... deprimente mesmo é que nos espera com esta fuga dos nossos jovens em idade activa. Só lhes posso desejar sorte e não sei se deseje que regressem.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Mensagem de Passos Coelho no caminho da (de)esperança...

Saude: a Destruição SNS em 2012 a passo(s) acelarados...

Saúde

INEM admite acabar com missões nocturnas de helicópteros (Renascença)
O presidente do INEM admite acabar com as missões nocturnas de três dos cinco helicópteros, actualmente destinadas à emergência médica. Em entrevista à Agência Lusa, Miguel Soares de Oliveira explica que os aparelhos custam dez milhões de euros por ano, mas a sua produtividade é muito reduzida durante a noite.

Urgências do Curry Cabral fecham portas à meia-noite

A partir da meia-noite de hoje o serviço de urgência e a urgência psiquiátrica do Hospital Curry Cabral, em Lisboa, estão encerrados e os utentes passam a ser atendidos no Hospital de São José.

O ministério esclareceu que este encerramento se insere "no âmbito da reestruturação da rede de urgências da área metropolitana de Lisboa e da abertura do Hospital de Loures".

A partir de terça-feira, os doentes serão referenciados para a urgência polivalente do Centro Hospitalar de Lisboa Central – Hospital de S. José, que integra o Grupo Hospitalar do Centro de Lisboa.

Para dar resposta a este acréscimo de doentes, a urgência do Centro Hospitalar de Lisboa Central será reforçada com profissionais do Hospital Curry Cabral.

Com este fecho, deixará igualmente de funcionar no Curry Cabral a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal dos Sambistas, Elymar Santos




a todos os tripalianos e outros visitantes ocasionais deste site, desejamos umas festas felizes. Neste limiar ou de um novo fascismo ou de uma mudança positiva para os povos, apelamos a todos e todas que não desistam e lutem por amor aos filos e netos de todos!

Salário mínimo no Brasil sobe 14 por cento...

Atualmente, o valor mínimo que um trabalhador brasileiro pode receber por mês é 545 reais (225 euros). O reajuste estava previsto no Orçamento de 2012, aprovado na quinta-feira pelo Congresso do país.

O novo salário mínimo deverá colocar 64 mil milhões de reais (26,4 mil milhões de euros) na economia brasileira no próximo ano, segundo cálculos da LCA Consultores, citados pelo jornal O Estado de São Paulo.

Uma lei aprovada este ano no Congresso brasileiro garante reajustes acima da inflação para o salário mínimo do país até 2015. A política de valorização começou a ser adotada durante o Governo do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, após um acordo com sindicalistas.



Pela fórmula, o reajuste anual do salário mínimo corresponde à variação da inflação no ano anterior somada ao percentual de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes.

Ou seja, o aumento do salário mínimo em 2012 é baseado na projeção da inflação oficial para 2011 (6,65 por cento) e no crescimento da economia brasileira em 2010 (7,5 por cento).

Apesar dos ganhos nos últimos anos, o salário mínimo brasileiro ainda está abaixo do patamar necessário para suprir as despesas básicas do trabalhador, segundo um cálculo divulgado no início do mês pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

De acordo com o estudo, para suprir os gastos das famílias com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o salário mínimo brasileiro deveria ser de 2.349,26 reais (969,13 euros

No dia mais frio do ano na Russia, o povo sai à rua!



no dia que se prevê o mais frio do ano na Russia, mais uma vez o povo vai sair à rua contra a fraude eleitoral... e contra Putin e companhia. Vê aqui:


Rússia: Autoridades a postos para as manifestações da oposição | euronews, mundo

O tripalio tem uma prenda para si



é girover como mentem ... só passaram 6 meses e é tudo ao contrário!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

quando um homem quiser , Paulo de Carvalho

Nenhum comentário: Hiperligações para esta mensagem

14 por cento das crianças portuguesas sem prenda de natal...




Num contexto de crise económica e financeira, os portugueses têm um menor rendimento disponível para gastar nesta altura do ano.
O presente estudo foi realizado pelo “Ipam- The Marketing School” do Porto e desenvolvido entre os dias 8 e 15 de Dezembro, e foram entrevistados 378 indivíduos da zona do Grande Porto.

Dado que é nesta altura do ano que se regista o maior volume de vendas em todas as áreas em geral, torna-se particularmente relevante compreender as alterações no comportamento dos consumidores face à palavra “crise”.

Quanto ao valor médio a gastar em compras de Natal, este situou-se em 282,6 euros. Já as classes económicas mais altas apontam para 545,5 euros. Nas classes económicas mais carenciadas regista-se um valor médio de 225,6 euros.

Comparativamente ao mesmo estudo realizado em 2010 em que o valor médio a gastar em compras de Natal declarado pelos portugueses foi de 373 euros, constata-se que este ano os portugueses dispensem de menos 100 euros para compras, o que representa uma diminuição de 24,2%.

Quanto às reduções nas compras de Natal, é de destacar que 86% dos entrevistados referiram que irão efectuar cortes nos presentes para adultos. 45% dos inquiridos declararam que irão executar cortes na compra de ornamentações de Natal, e 23% dos entrevistados vão fazer cortes nos presentes para crianças.

Ainda assim, nos agregados familiares com filhos (que são 46% dos inquiridos), os mesmos são em 86% dos casos contemplados com presentes de Natal, ao contrário de 2010, ano em que todos os agregados familiares com filhos referiram a intenção comprar presentes de natal para estes.

Em 75% dos casos, é referida a compra de presentes de Natal para o cônjuge, e em 50% dos casos para os pais, irmãos e outros familiares. Apenas 24% dos inqueridos referem a intenção de comprar prendas para amigos.

19% dos portugueses entrevistados declararam que vão cortar nos produtos alimentares específicos de Natal, de acordo com o estudo do Ipam.

Relativamente ao tipo de produtos, para as crianças até aos 12 anos e adolescentes dos 12 aos 18, os presentes mais comprados serão roupa e sapatos. Também para os adultos esta é a categoria vencedora.

um pai natal na luta!


Até o pai natal anda participar na luta! Desta vez foi de cana!

O novo memorando da troika de Dezembro de 2011, que prenda natal maravilhosa...

disto ninguém fala. Há um novo memorando muito mais violento, ou seja a recompensa de termos cumprido tudo:A troika realizou uma actualização ao memorando de entendimento com o governo português. Deste novo documento vão sair novas decisões cuja implementação terá de ser rápida e eficaz.

Saiba o que vai mudar:

1- Maior poupança na Saúde
Estabelece-se como objectivo mover recursos humanos dos hospitais para unidades de saúde primárias, reconsiderando o papel das enfermeiras e outras especialidades na prestação de serviços.
A troika quer ainda aumentar o número de pacientes por médico nos centros de saúde e nas unidades de saúde familiares.
O Governo terá de poupar quase o dobro nos custos com o sector da saúde que o estipulado na primeira revisão do memorando de entendimento com a 'troika', passando assim de 550 para 1.000 milhões de euros.

2 - Menor despesa na Educação
O objectivo é poupar 380 milhões de euros, racionalizando a rede escolar, criando agrupamentos, e diminuindo ao mesmo tempo as necessidades de pessoal. A troika aponta para uma centralização da oferta, redução e racionalização das transferências para as escolas privadas com contratos de associação e uma maior utilização de fundos comunitários para financiar actividades na área da Educação.

Vai ser melhorada a qualidade do ensino secundário, a via vocacional e a formação, para aumentar a eficiência no sector, a qualidade do capital humano e a entrada no mercado de trabalho. Para estes objectivos, o Governo vai estabelecer um sistema de análise, monitorização, avaliação e informação para apurar a evolução dos resultados e impactos das políticas de educação e formação, nomeadamente os planos já existentes.

3 - Despedimentos, Indemnizações e Salários
O Governo tem três meses para submeter ao Parlamento um diploma que deverá possibilitar às empresas o despedimento individual do trabalhador por inadaptação e por não cumprimento dos objectivos acordados com o colaborador. O despedimento passará a ser significativamente mais fácil, bastando que o trabalhador não cumpra os objectivos acordados com a empresa, não se adapte ao posto de trabalho ou exista um colaborador que a empresa considere mais bem colocado para o efeito.

Apesar da apreensão dos patrões com o facto de as contribuições de umas empresas poderem migrar para outras, a medida vai seguir em frente. O Fundo de Compensação do Trabalhador servirá assim, para pagar parte das compensações em caso de cessação do contrato de trabalho.

O Estado fica obrigado a reduzir em cerca de 3.000 milhões de euros na folha salarial total do sector público. Até agora foi atingido um valor de 1,620 milhões, o que significa que ainda está para ser apurado cerca de metade do valor.

4 - Redução da Taxa Social Única


Em 2013 a TSU vai mesmo ser cortada.Ou seja, os descontos pagos pelos patrões por cada empregado irão ser reduzidos. A medida já era para ter sido implementada mas o Governo decidiu não o fazer devido ao emagrecimento em tantos outros sectores. Agora é de vez.

5 - Menos municípios e freguesias
A administração local terá de ser reorganizada durante os próximos sete meses. Portugal tem actualmente 308 municípios e 4259 freguesias, mas até Julho de 2012, o governo irá desenvolver um plano de consolidação para reorganizar e reduzir significativamente este número inicial. Nas próximas eleições autárquicas já não existirão as mesmas freguesias e concelhos pelo que o seu circulo eleitoral pode ser alterado.

6 - Novo mapa judiciário
O projecto do novo mapa judiciário será apresentado em Janeiro, estando previsto que o projecto lei seja apreciado no Parlamento no fim de Setembro. A estrutura judicial será racionalizada e a eficácia dos processos judiciais melhorada. Para isso será reduzido o número de comarcas, encerrados tribunais subutilizados e feita uma avaliação da gestão dos mesmos, nomeadamente a nível de pessoal (funcionários judiciais, procuradores do Ministério Público e magistrados). Está ainda prevista uma separação de câmaras dentro dos tribunais de comércio e alocação de recursos com base em dados quantitativos.

7 - Calendário de privatizações
A Parpública, empresa gestora das participações públicas, começa a ser extinta em 2013. A privatização da EDP e da REN está na fase final. E no caso da EDP a transacção deverá acontecer "no início de 2012".
A venda da posição na Galp e da restante participação na REN, poderá ser adiada até as condições de mercado melhorarem".

A CP Carga também deverá ser vendida até meados de 2012, estando também a iniciar a privatização da ANA, companhia gestora dos aeroportos nacionais, e da TAP, cuja venda deverá estar concretizada no final de 2012. A venda dos CTT será para concluir em 2013.

8 - Venda da Caixa Seguros
O negócio segurador da Caixa Geral de Depósitos será vendido em 2012 já a um comprador final. Essa venda irá "contribuir para atingir as necessidades de capital adicionais" do banco para o próximo ano, exigidas pela EBA. A primeira actualização do Memorando de Entendimento, em Setembro, dizia que o negócio segurador da CGD seria transferido para uma entidade no Estado antes de se proceder à sua privatização.

9 - Preços diferenciados para bilhetes de comboio
O Governo quer aplicar preços diferenciados aos bilhetes de comboios de longa distância, de acordo com a procura e a antecedência de compra. Ou seja, para o mesmo destino vão existir vários preços, mediante o dia da compra. Maior antecedência é sinónimo de menor preço.

10 - Dívida da Madeira controlada pelo continente
O Governo central tenciona passar a "controlar os compromissos [financeiros] e gerir a dívida" da Região Autónoma da Madeira, através de um acordo que implicará aumentos nos impostos madeirenses e a introdução de portagens. Os impostos na Madeira passarão a ser controlados por uma Autoridade Tributária para garantir uma aplicação mais uniforme

Um post de natal censurado...


A censura do PSD / CDS censurou este post de natal, do Chefe de Polícia de Coimbra. as almas puritanas só sonham com anjinhos e sininhos nesta data...

BCE sugere contratos abaixo do salário mínimo... eis a politica de miséria da europa!


O banco central europeu enviou em agosto uma carta ao governo espanhol, liderado por Zapatero, em que pedia contratos laborais com remunerações abaixo do salário mínimo. A carta conhecida neste Mês de Dezembro, foi divulgada por diversos meios de comunicação social...segundo o "El Economista" o BCE solicitou ao governo de Zapatero que,em troca da reactivação do seu programa de compra de dívida espanhola, houvesse uma "desvalorização económica" dos salários, bem como medidas contra o desemprego entre os jovens- incluindo a criação de uma nova categoria de trabalhadores com ordenados inferiores ao salário mínimo interprofissional que é de 641,4 euros.
A proposta passava assim por imlementar em Espanha a fórmula dos "minijobs" criados na Alemanha( criativos, estes alemães) em 2003 como medida de desvalorizar salários. Tratam de contratos de 400 euros mensais, em que o trabalhador não paga impostos e em que contribui para a Segurança Social de forma voluntária, como explica o jornal "cinco Dias"... uma espécie de recibo verde....è isto que os BCEs e Europa querem para os trabalhadores! Cabe aos povos rejeitar esta trama!

A DOUTRINA DO CHOQUE


ando a ler A Doutrina do Choque, de Naomi klein. Deixo alguns excertos. trata se de um livro fundamental para perceber que passa.

"A Grande Mentira.


Na torrente de palavras escritas como elogio de Milton friedman, o papel dos choques e crises enquanto instrumentos para o avanço da sua visão mundial mal foi mencionado. Em vez disso o falecomento do economista prporcionou uma ocasião para reescrever a história oficial de como esta raça de capitalismo radical se tornou numa numa ortodxia governamental em quase todos os cantos do mundo. è uma versão conto de fadas da verdadeira história, limpa de toda a violencia e coerção......

O crash dos mercados de 1929 tinha criado um consenso avassalador de que o lassez faire tinha falhado e que os governos precisavam de intervir na economia para distribuir riqueza e regular corporações. durante esses dias negros para o lassez faire, em que o comunismo conquistou o oriente, o estado providencia foi abraçado pelo Ocidente e o nacionalismo económico ganhou raizes no sul....

"O maio erro, na minha opinião" escreveu Friedman numa carta a Pinochet em 1975 " é acreditar que é possivel fazer o bem com o dinheiro das outras pessoas"

quando a União Sovietica caiu as pessoas do império mal+evolo, estavam também ansiosas por se juntarem à revolução friedmanita, bem como os comunistras virados capitalistas na China. isso significava que nada restava para se entrepor no caminho de um mercado global verdadeiramente livre..."

In Doutrina do Choque, A Ascenção do Capitalisamo de DesaSre, Naomi Klein

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

As medidas para Espanha, lá como cá, tudo tão semelhante...

O futuro chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, anunciou hoje um conjunto de medidas, várias das quais com cariz "urgente" que vai começar a aplicar a partir do final do ano para combater o desemprego, fomentar a economia e controlar o défice.

Medidas de cariz imediato e que abrangem ainda reformas estruturais em temas como o setor financeiro e o mercado laboral.

Estas são as medidas essenciais anunciadas por Mariano Rajoy no discurso do debate de investidura, no Congresso de Deputados, onde será votado como novo presidente do Governo na terça-feira:

- Lei de Estabilidade orçamental com progressiva redução do nível da dívida até 60 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020.

- Atualização das pensões a partir de 1 de janeiro de acordo com a inflação.

- Real decreto-lei com medidas urgentes, incluindo o prolongamento do Orçamento do Estado (OE) de 2011 e um acordo de "não disponibilidade" que fixará a redução prevista de 16,5 mil milhões de euros no défice em 2012.

- Aprovação do OE de 2012 antes de 31 de março.

- Taxa de reposição "zero" no serviço público, com novas contratações apenas nas Forças e Corpos de Segurança do Estado.

- Reestruturação e supressão de entidades, organismos e agências públicas.

- Redução de gastos correntes de funcionamento da administração.

- Pacto pela austeridade e eficiência com todas as administrações regionais e local.

- Impulsionar, no primeiro semestre de 2012, do processo de reestruturação do setor financeiro.

- Atraso no pagamento do IVA por trabalhadores independentes e PME até que tenham efetivamente cobrado as faturas.

- Ajuda fiscal de 3.000 euros pela contratação de um trabalhador.

- Recuperar dedução fiscal pela compra de casa de habitação.

- Avançar na reforma laboral com medidas para evitar absentismo, fomentar medidas de conciliação e plano de igualdade.

- Transferir todos os feriados possíveis para as segundas-feiras.

- Lei de transparência para acesso de cidadãos a informação sobre administrações.

- Redução de organismos reguladores e reordenamento das suas competências, com novo sistema de nomeações de cargos e maior participação do Congresso.

- Reforma do setor educativo, procurar consenso. Aposta no bilinguismo (espanhol e inglês) e trilinguismo (em casos de línguas regionais).

- Educação obrigatória e gratuita até aos 16 anos.

- Novo sistema de acesso à função docente.

- Nova política energética para corrigir défice tarifário, reduzindo custos médios do sistema.

- Plano Integral do Turismo.

- Pacto pela Saúde, com partidos e governos regionais.

- Renovação do Tribunal Constitucional e da presidência da RTVE.

- Suprimir pré-reformas e aproximar idade real de reforma à legal. Incentivar prolongação voluntária da vida laboral.

- Criação do Ministério da Agricultura.

A HISTÓRIA AVANÇA COM A LUTA E A LUTA AVANÇA COM A HISTÓRIA

A História avança com a luta e a luta avança com a História
21 de Dezembro de 2011 por Bruno Carvalho
No dia 1 de Janeiro entramos directamente em 1958. Nesse ano, os trabalhadores agrícolas portugueses encetavam uma luta histórica pela jornada de trabalho de oito horas. Também nesse ano, dezenas de milhares de portugueses abandonavam o país por motivos económicos. No poder, estavam os avós políticos dos que hoje nos governam.

A História avança com a luta e a luta avança com a História

Há quem diga que é ficção. Outros insistem que existiu. A verdade é que houve povos em que o jus primae noctis, como direito ou não, foi uma realidade. Os proprietários feudais aproveitavam-se do poder económico para abusar das mulheres e filhas dos servos que lhes trabalhavam as terras. Entretanto, séculos passaram e a História avançou. Mudaram as formas de produção, a burguesia substituiu a nobreza e a classe trabalhadora emancipou-se.

Ao longo dos séculos XIX e XX, a confrontação de classes agudizou-se e traduziu-se em importantes vitórias para milhões de explorados. A Comuna de Paris, a Revolução de Outubro, a tomada do poder na China e a vitória do povo cubano, em 1959, foram só alguns desses momentos. Foi tal o prestígio do papel da União Soviética na vitória sobre o nazi-fascismo que o mundo capitalista foi obrigado a recuar e a ceder importantes direitos à classe trabalhadora.


Portugal não foi alheio a essa dinâmica. Protagonistas da revolução mais profunda na Europa Ocidental desde a Comuna de Paris, os trabalhadores e o povo arrancaram conquistas históricas à burguesia e ao fascismo. Mas esse acontecimento não surgiu através de geração espontânea. A classe trabalhadora teve de aprender, ganhar experiência e desenvolver-se com a práxis. Percebeu a necessidade de se organizar e de como se organizar. O desenvolvimento de uma consciência socialista utópica para uma consciência socialista científica, e a posterior aplicação da teoria leninista, foi fundamental para a construção de um movimento operário robusto e consequente.

Durante 48 anos, a luta que se travou no campo e nas cidades não só fez avançar o modo de organização dos trabalhadores, e vice-versa, como também criou as condições para que Abril não fosse uma transição à espanhola. A luta pela jornada de trabalho de oito horas, já referida, por exemplo, foi levada a cabo, de forma mais incisiva, a partir de 1958. Em Maio de 1962, milhares de trabalhadores agrícolas recusaram estar mais do que oito horas no campo e no fim desse ano, apesar de não estar oficializado, o combate traduziu-se em vitória.

A importância da experiência histórica

Poucos jovens saberão que o que há hoje nem sempre foi assim. Há em todo o processo de formatação ideológica do capitalismo a necessidade de se apagar a memória história. Os manuais escolares não devem ilustrar aquilo que nos trouxe direitos e conquistas fundamentais. Também não devem ilustrar aquilo que há mais de 35 anos os vem destruindo. Sobretudo, valoriza-se a participação individual, a resignação e o colaboracionismo. Não é por acaso que os media dão mais força a modelos de luta que remetem para o que de embrionário e inconsequente havia no século XIX.

Depois da queda do socialismo no Leste Europeu, vive-se um importante recuo histórico. Enfraquecidas as organizações que antes haviam protagonizado o que de melhor aconteceu em todo o século XX, e mantendo-se a rejeição ao capitalismo, potencia-se a desorganização, o divisionismo, apaga-se a análise científica da realidade e criam-se teorias que dão mais valor à metáfora e ao folclore.

Se queremos que 1962 e 1974 se repitam, e sem lugar a mais derrotas, se queremos que a História não recue aos tempos do jus primae noctis, devemos tomar o exemplo daqueles que protagonizaram a histórica luta pelas oito horas e a revolução de Abril. Desconhecer a experiência do movimento operário, ao longo dos séculos, é dispensar ferramentas que nos evitam a repetição de erros. Face aos novos desafios, exigem-se novas reflexões e a adaptação da teoria às novas realidades. Mas também se exige rejeitar derrotas evitáveis.

A História não é uma constante de progresso e desenvolvimento. Depois de civilizações como a grega e a romana, ninguém diria que a Europa ia cair na longa noite da Idade Média. Como ninguém acredita ser possível recuar-se até ao século XIX. Mas a verdade é que a burguesia avançará tanto quanto os trabalhadores deixarem. Cabe a nós impedi-lo e organizar o contra-ataque.

A História avança com a luta e a luta avança com a História

A História avança com a luta e a luta avança com a História

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Seguro reuniu com Passos, mas o povo não pode saber do que falam...

http://www.tvi24.iol.pt/politica/seguro-ps-psd-tvi24-austeridade/1310895-4072.html

Seguro vai reunir com Passos Coelho, sem saber ao que vai... alguém acredita. depois diz que não revela o conteudo das conversas... é assim uma democracia a jogar às escondidas... quando anunciarem algo brevemente saberemos destes conteudos secretos

as promessas para não cumprir...


saiba como se mente aos tugas clique no desenho

Um país a avançar...


Ai , ai, esta comunicação social de " esquerda", e que não se modernize. O que é moderno é despedir e ser despedido, seus atrasados...

Um país a avançar...


Ai , ai, esta comunicação social de " esquerda", e que não se modernize. O que é moderno é despedir e ser despedido, seus atrasados...

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Mensagem de Boas Festas Tripalianas

http://www.presidencia.pt/?idc=22&idi=60287


depois de ver isto só me apetece dizer: vai à merda com dois paus!

Indeminizações passam para 8 dias por ano da trabalho...saiba o que vem a seguir


Agora o próximo passo é baixar as indeminizações para 8 dias por ano, de seguida é trabalhador que quando for despedido pagará ao patrão quando for despedido, numa espécie de agradecimento por ter tido trabalho. Teremos chegado ao capitalismo em estado puro...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Crianças com fome na Grecia... como será em portugal no natal 2012?

domingo, 18 de dezembro de 2011Grécia: Com FOME, crianças desmaiam nas escolas



Os professores na Grécia estão preocupados com os vários casos que se têm registado nos últimos meses de alunos que desmaiam nas escolas por fome e desnutrição e já alertaram as autoridades para o caso.

O primeiro ocorreu há cerca de um ano e a ele seguiram-se mais denúncias de professores, que garantem que alunos seus estão na escola até às 16:00 sem comer nada o dia inteiro.

Os meios de comunicação deram conta do caso, mas as notícias foram catalogadas de exageros jornalísticos até que, há cerca de duas semanas, um rapaz de 13 anos desmaiou num colégio da Heraklión, a capital da ilha de Creta.



Quando a directora avisou a mãe, que trabalha a tempo parcial numa empresa municipal e tem quatro filhos, ela disse que a sua família não comia nada há dois dias.

O assunto transformou-se em debate nacional e a imagem da comida a ser dividida nas escolas despertou, entre os mais velhos, o pesado inverno de 1941-42 quando, depois da ocupação nazi, mais de 300 mil pessoas morreram de fome.

Entretanto, a direcção escolar de Atenas assegurou que, desde que começou o ano lectivo, várias escolas básicas prepararam cerca de 5.500 refeições por dia e destacou que 67 dessas refeições são para alunos em condições de necessidade extrema

domingo, 18 de dezembro de 2011

Wake up, Rage Against the Machine

As revoltas  vão suceder e se calhar até úteis para quem manda...

Passos Coelho e a metade do ordenado que será a sua reforma...

Passos Coelho sugere que professores desempregados emigrem | © José Sena Goulão/LusaTem de facto uma técnica de não dar esperança e anunciar o fim do mundo.O tom miserável com que esta ratazana diz as coisas é de facto exasperante. este senhor diz: a minha reforma e a dos outros serão metade dos ordenados... ora há um problema:
- metade de 6000 euros são 3000 euros ( mais um vertificadozitom, ou as poupanças que consegue naturalmente fazer)

- metade de 500 euros são 250 euros...

Estes tipos se puderem farão as reformas ficarem com valores ainda menores... Na Inglaterra já é 40 por cento do ultimo ordenado... Chamam lhe os pobres súbitos.. pois muitos nunca puderam fazer poupanças...

como poupa um recibo verde?
como poupa um desempregado?
Como poupa quem ganha 600 euros ( ou menos) e paga de casa 350 euros , por exemplo?


Eles vão destruir a Segurança Social. E com uma mentira: a das pensões altas. Eu não me ralo que alguém que descontou uma média de 10 mil euros mensais uyma vida inteira  tenha uma boa pensão... desde que tenha tido carreira contributiva ( nada de Miras Amarais , que descontam 1 ano e recebem milhares). o que é preocupante é esta limitação ao valor máximo das pensões,... trata se de descapitalizar a Segurança Social com uma conversa que muitos acreditam...E aí vem a privatização da Segurança Social, milhões e milhões para a banca...

O conselho de ministros de hoje tem uma escola...Escola de Chicago

Escola de Chicago (economia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirus. Veja como referenciar e citar as fontes.
EconomiaA Wikipédia possui o
Portal de Economia e negócios
A Escola de Chicago é uma escola de pensamento econômico que defende o mercado livre e que foi disseminada por alguns professores da Universidade de Chicago. Os líderes dessa escola são George Stigler e Milton Friedman, ambos laureados com o Prémio Nobel da Economia. Suas idéias são associadas à teoria neoclássica da formação de preços e ao liberalismo econômico, refutando e rejeitando o Keynesianismo em favor do monetarismo, (até 1980, quando passou a defender a teoria das expectativas racionais) e rejeição total da regulamentação dos negócios, em favor de um laissez-faire quase absoluto. Em termos metodológicos enfatiza a "economia positiva", isto é, estudos empíricos baseados no uso de estatísticas, dando menor ênfase à teoria econômica e maior importância à análise estatística de dados. A "Escola de Chicago" se notabiliza por sua ampla gama de interesses, dedicando-se a estudos que vão da regulamentação ao casamento, da escravidão à demografia.
O termo "Escola de Chicago" foi concebido na década de 1950 para se referir aos professores que lecionavam no Departamento de Economia da Universidade de Chicago, bem como em áreas acadêmicas relacionadas como a Escola Superior de Administração e a Faculdade de Direito. Reuniam-se freqüentemente e promoviam acaloradas discussões, que ajudaram a cristalizar uma opinião desse grupo de economistas acerca de assuntos econômicos, baseada na teoria dos preços.
Nem todos os economistas do Departamento de Economia da Universidade de Chicago comungavam das crenças da "Escola de Chicago". Se, por um lado a Universidade de Chicago é a universidade cujos professores receberam o maior número de prêmios Nobel e medalhas John Bates Clark, por outro menos da metade dos integrantes de seu Departamento de Economia comungava das teorias da "Escola de Chicago".
As teorias da "Escola de Chicago" inicialmente embasaram a administração econômica da ditadura de Pinochet no Chile na década de 1970 , com os chicago boys, e posteriormente foram adotadas, na década de 1980, por Margaret Thatcher na Inglaterra (thatcherismo) e por Ronald Reagan nos Estados Unidos (reaganomics).
Essas teorias se refletiram fortemente nas políticas do Banco Mundial e de outras instituições financeiras baseadas em Washington, tais como o Departamento do Tesouro americano e o Fundo Monetário Internacional, que passaram a adotar o fundamentalismo de livre mercado como receita para os países em dificuldades econômicas, como foi expressado pelo Consenso de Washington. Sob sua influência, de meados de 1980 a meados de 1990, grande parte das empresas estatais em países do terceiro mundo forma privatizadas.
James Tobin, professor da Universidade de Yale e Joseph Stiglitz, ex-Vice Presidente do Banco Mundial, ambos prêmios Nobel de Economia, criticaram violentamente, em suas publicações, as ideologias defendidas pela "Escola de Chicago" e pelo consenso de Washington.

Nota de tripalio- Milton Friedman chega a defender a ideia do capitalismo puro, em que tudo é privado e nada é regulado por nada... a selvajaria liberal , é para lá que vamos!

conselho de ministros ao domingo: os bárbaros reunem se para mais destruição...

sentam se ao domingo para dar um ar trabalhadeiro. o que vão fazer não é trabalho : é destruição, os novos bárbaros usam fato e gravata..em cada país existe um pacote deles que sucumbe aos intentos da Alemanha e do dinheiro. preparam uma mudança de regime, a caminho da escravidão e da servidão ao capital. São nojentos e em cada país temos de lhes por travão, senão são eles que nos lixam a nós...

sábado, 17 de dezembro de 2011

é doce morrer no mar, cesária évora e marisa monte

Auditar a dívida portuguesa!







"Terminou a primeira onda da crise bancária. Os bancos passaram com sucesso as suas perdas para o sector público e os seus lucros voltaram a «enriquecer». Agora esperam que os governos repitam o truque. A Grécia, a Irlanda e Portugal estão a sofrer políticas de «ajuste estrutural» para que o dinheiro público continue a derivar para as instituições cujo comportamento é responsável pela crise económica global.

Por toda a Europa, mas sobretudo na Grécia, as pessoas estão a revoltar-se — não apenas para discutir «quem paga a factura.» Estão envolvidos numa luta pela democracia no seu verdadeiro sentido, por um sistema económico baseado num conjunto de valores radicalmente diferentes. E usam os modelos dos movimentos sociais desenvolvidos nos países do sul para dar início ao processo necessário de educação e empoderamento."




Aliança banca/governos





A aliança banca/governos foi uma "monstruosa irresponsabilidade", que está no centro da actual crise da dívida soberana na Europa.

"I certainly agree with the public that the European banks as well as the American banks (...) behaved with monstrous irresponsibility." - Edmund S. Phelps, 2006 winner of the Nobel Prize for Economics.

Solução:

A banca tem de voltar a dar crédito as empresas e não "meter-se na cama" com os governos.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

ontem foi assim...

Ilda figueiredo: uma entrevista que vale a pena ler!