quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Censura da Comunicação social: protesto frente a Wall Street dura há doze dias seguidos

   Deixamos um texto Brasileiro que retrata bem o que pensamos sobre este protesto:

Por Altamiro Borges Desde 17 de setembro, milhares de pessoas estão acampadas numa praça próxima a Wall Street, o principal centro financeiro do mundo capitalista, em Nova York. Elas protestam contra o “1% de ricaços dos EUA que exploram 99% da sociedade” e que são culpados pela grave crise econômica que abala o país desde 2008, gerando desemprego, despejos e miséria.O movimento batizado de Occupy Wall Street foi convocado pelas redes sociais e teve como referência as revoltas na Espanha e no mundo árabe. Ele exige que o governo de Barack Obama, tão covarde diante das elites, adote medidas mais duras de combate à especulação financeira, eleve os impostos da minoria abastada e invista em políticas de geração de emprego e renda. O significado da ocupação Diariamente, ocorrem assembléias, debates e atividades culturais. Artistas famosos, como o diretor de cinema Michael Moore e a atriz Susan Sarandon, já estiveram no local prestando solidariedade aos manifestantes. Várias lideranças políticas, religiosas e dos movimentos sociais também se revezam no local para dar apoio ao protesto, formado principalmente por jovens. Intelectuais de renome, Noam Chomsky e Amy Goodman, produziram artigos sobre o significado deste inédito movimento. “Wall Street e as instituições financeiras iniciaram o ciclo vicioso que levou a imensa concentração de riqueza e, com ela, também do poder político, em um pequeníssimo setor da população, uma fração de 1%. Ao mesmo tempo, o restante da população foi transformado no que às vezes é chamado de ‘precariado’ – lutando para sobreviver numa existência precária. Wall Street e as instituições financeiras também praticam com impunidade quase completa suas atividades nefastas: não só são ‘grandes demais para quebrar’; também são ‘grandes demais para ir pra cadeia’. Os corajosos e honrados protestos em curso em Wall Street devem chamar a atenção pública para essa calamidade”, escreveu Noam Chomsky.“Não queremos distúrbios” Apesar do significado do protesto, o prefeito de Nova York, o “republicano” Michael Bloomberg, oitavo homem mais rico dos EUA (fortuna calculada em US$ 20 bilhões), esbanja truculência. “Não queremos esse tipo de distúrbio aqui”, disse na semana passada. No sábado (24), acatando as suas ordens, a polícia investiu com violência contra os acampados, prendendo mais de 80 jovens e ferindo várias pessoas.Além da energia dos manifestantes e da truculência da polícia, chama atenção a atitude pusilânime da mídia. Como denuncia Amy Goodman, a maior parte da imprensa estadunidense simplesmente omite o protesto. “Se 2 mil ativistas do grupo conservador Tea Party se manifestassem em Wall Street, provavelmente haveria a mesma quantidade de jornalistas cobrindo o acontecimento”.A seletividade da imprensa colonizadaNo Brasil, a mídia colonizada segue o mesmo padrão “jornalístico”. Não fala nada sobre a ocupação de Wall Street. Até agora, os jornalões publicaram apenas pequenas notinhas; já as emissoras de televisão nem tocaram no assunto. Se fosse um protesto em Caracas contra Hugo Chávez ou em Havana contra Raul Castro, a mídia burguesa faria o maior escarcéu. Seria manchete todos os dias.A seletividade da mídia é algo realmente impressionante: omite o que não interessa a ela e realça o que serve aos seus interesses políticos e econômicos, à sua visão de classe. E ainda tem gente que acredita na imparcialidade e na neutralidade da chamada “grande imprensa”.

Censura da Comunicação social: protesto frente a Wall Street dura há doze dias seguidos

   Deixamos um texto Brasileiro que retrata bem o que pensamos sobre este protesto:

Por Altamiro Borges Desde 17 de setembro, milhares de pessoas estão acampadas numa praça próxima a Wall Street, o principal centro financeiro do mundo capitalista, em Nova York. Elas protestam contra o “1% de ricaços dos EUA que exploram 99% da sociedade” e que são culpados pela grave crise econômica que abala o país desde 2008, gerando desemprego, despejos e miséria.O movimento batizado de Occupy Wall Street foi convocado pelas redes sociais e teve como referência as revoltas na Espanha e no mundo árabe. Ele exige que o governo de Barack Obama, tão covarde diante das elites, adote medidas mais duras de combate à especulação financeira, eleve os impostos da minoria abastada e invista em políticas de geração de emprego e renda. O significado da ocupação Diariamente, ocorrem assembléias, debates e atividades culturais. Artistas famosos, como o diretor de cinema Michael Moore e a atriz Susan Sarandon, já estiveram no local prestando solidariedade aos manifestantes. Várias lideranças políticas, religiosas e dos movimentos sociais também se revezam no local para dar apoio ao protesto, formado principalmente por jovens. Intelectuais de renome, Noam Chomsky e Amy Goodman, produziram artigos sobre o significado deste inédito movimento. “Wall Street e as instituições financeiras iniciaram o ciclo vicioso que levou a imensa concentração de riqueza e, com ela, também do poder político, em um pequeníssimo setor da população, uma fração de 1%. Ao mesmo tempo, o restante da população foi transformado no que às vezes é chamado de ‘precariado’ – lutando para sobreviver numa existência precária. Wall Street e as instituições financeiras também praticam com impunidade quase completa suas atividades nefastas: não só são ‘grandes demais para quebrar’; também são ‘grandes demais para ir pra cadeia’. Os corajosos e honrados protestos em curso em Wall Street devem chamar a atenção pública para essa calamidade”, escreveu Noam Chomsky.“Não queremos distúrbios” Apesar do significado do protesto, o prefeito de Nova York, o “republicano” Michael Bloomberg, oitavo homem mais rico dos EUA (fortuna calculada em US$ 20 bilhões), esbanja truculência. “Não queremos esse tipo de distúrbio aqui”, disse na semana passada. No sábado (24), acatando as suas ordens, a polícia investiu com violência contra os acampados, prendendo mais de 80 jovens e ferindo várias pessoas.Além da energia dos manifestantes e da truculência da polícia, chama atenção a atitude pusilânime da mídia. Como denuncia Amy Goodman, a maior parte da imprensa estadunidense simplesmente omite o protesto. “Se 2 mil ativistas do grupo conservador Tea Party se manifestassem em Wall Street, provavelmente haveria a mesma quantidade de jornalistas cobrindo o acontecimento”.A seletividade da imprensa colonizadaNo Brasil, a mídia colonizada segue o mesmo padrão “jornalístico”. Não fala nada sobre a ocupação de Wall Street. Até agora, os jornalões publicaram apenas pequenas notinhas; já as emissoras de televisão nem tocaram no assunto. Se fosse um protesto em Caracas contra Hugo Chávez ou em Havana contra Raul Castro, a mídia burguesa faria o maior escarcéu. Seria manchete todos os dias.A seletividade da mídia é algo realmente impressionante: omite o que não interessa a ela e realça o que serve aos seus interesses políticos e econômicos, à sua visão de classe. E ainda tem gente que acredita na imparcialidade e na neutralidade da chamada “grande imprensa”.

isaltino foi preso...

De facto esta notícia espanta o povo. Apesar do tribunal decidir que ele é mesmo culpado, estamos habituados a ver estas figuras a safar se sempre. Veremos se não será passageiro. Se o tribunal fosse o povo de Oeiras ele saía já hoje em Liberdade, pois é do género " Roubo, mas faço". força Isaltino, o povo totó está contigo!

Novos preços das taxas moderadoras... deixe aqui o seu prognóstico!

o Governo arrecada com as actuais taxas moderadoras cerca de 70 milhões de euros por ano... agora com as novas taxas prevê arrecadar 400 milhões com as novas taxas. faça as contas se quiser o aumento que aí vem...e as muitas mais pessoas que irão pagar!

20 professores invadem ministério da educação...é assim mesmo!

Exigindo respostas aos desmandos do ME , 20 profs invadiram o Ministério, exigiram ser recibidos. Parabéns pela persistência, mesmo face à prepotência destes senhores que nunca por nunca admitem que erram!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Pobre Serviço Nacional de Saude tanta pancada vais levar!

Em causa cortes no financiamento dos transplantes

Presidente da administração do Curry Cabral demitiu-se

27.09.2011 - 17:57 Por Margarida Gomes

Os cortes anunciados no apoio aos tranplantes será um dos motivos que levou à demissão da administradoraOs cortes anunciados no apoio aos tranplantes será um dos motivos que levou à demissão da administradora (Nuno Ferreira Santos)
A presidente do Conselho de Administração (CA) do Hospital Curry Cabral, EPE, a médica Ana Paula Sousa Uva, renunciou ao cargo na passada sexta-feira, tendo apresentado a sua demissão ao ministro da Saúde, Paulo Macedo por discordar dos cortes que são impostos a esta unidade de saúde.
O hospital já confirmou a demissão da presidente do CA do hospital, avançada esta tarde pela TVI 24, mas remete todos os esclarecimentos para o Ministério da Saúde que até agora não tornou pública nenhuma posição.

Tratando-se de um hospital EPE (Entidade Pública Empresarial), com a demissão da presidente caem os restantes membros da administração.

Ao que o PÚBLICO conseguiu apurar, Ana Paula Sousa Uva ter-se-á demitido do cargo por discordar das regras de financiamento impostas ao hospital pela Administração Central do Sistema de Saúde relativamente a 2010 com efeitos rectroactivos.

Uma outra razão terá a ver com as alterações anunciadas há dias pelo Ministério da Saúde relativamente ao financiamento dos transplantes de órgãos. O Curry Cabral é um dos maiores centros ibéricos de transplantes hepáticos e um dos maiores a nível europeu nesta área. Por outro lado, o hospital ocupa um lugar de destaque no transplante renal, sendo um dos centros portugueses de referência no que diz respeito aos transplantes reno-pancreáticos. O outro é o Centro Hospitalar do Porto (que integra o Hospital de Santo António, a Maternidade Júlio Dinis e o Hospital de Criança Maria Pia).

O PÚBLICO sabe que ex-presidente da administração do Curry Cabral terá confidenciado que perante todos estes cortes não seria possível continuar a gerir o hospital da mesma forma. A situação assume particular relevância na questão do financiamento dos transplantes que naquele hospital têm um peso muito significativo.

Em Agosto o Governo decidiu cortar para metade os incentivos para a realização de transplantes, com efeitos retroactivos desde o início do ano. Esses cortes de verbas previstos para o sector levaram à demissão do Presidente, João Rodrigues Pena, e da coordenadora nacional da Autoridade dos Serviços do Sangue e da Transplantação, Maria João Aguiar, em protesto contra as intenções do ministro da Saúde.

“Recuso-me a permanecer aqui porque o meu lugar está esvaziado de funções. Não posso aceitar que haja doentes que se podem salvar mas que vão morrer porque o país está em dificuldades económicas”, disse a coordenadora nacional das Unidades de Colheita de Órgãos, Tecidos e Células para Transplantação, Maria João Aguiar.

As vacas sorridentes estiveram a ouvir atentamente a entrevista de Cavaco

O nosso podador de anonas e apreciador de de vacas sorridentes disse esperar que a meio do ano de 2012 , esperava ver sinais de recuperação no emprego e crescimento. è pra rir mesmo, ou melhor para chorar porque a meio de 2012 estaremos em queda livre e todos percebem isso mesmo!

Ministério da Educação retira o prémio aos melhores alunos...

De pequeninos que têm de se habituar, que premios e bonus de "mérito" é só para gestores e administradores. O que é isto de miudos a receberem quinhentos euros lá serem  os melhores lá da escola? E alguns cheques já iam a caminho dos meninos. Malandros a levarem quinhentos euros por terem tido boas notas! de facto esta medida foi cómica, e ver Nuno Crato a justificar o injustrificavel é extraordinário. ao menos digam a verdade: Este governo NÂO DÀ NADA, SÒ TIRA e como tal não dá os quinhentos euros aos miudos!

E no fim do acordo da troika... novo emprestimo...

E de facto todos já pereceberam que depois do primeiro empréstimo, lá virá outro, se calhar para pagarmos o primeiro, sempre anos e anos de miséria e empobrecimento do país. e já se percebeu que a recessão vai ser bem maior que o previsto. E por isso em 2013 vamos estar bem pobres e miseráveis e a pedir novo emprestimo com o garrote eterno agarrado ao pescoço!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

é verdade, terrakota

estamos mesmo dopados como dizem os terrakota!

Um país ocupado, de José Vitor Malheiros



 Este texto publicado hoje no Publico é bem a descrição do estado de espírito de um povo, o povo português. fica aqui a nossa homemagem a José Vitor Malheiros:

" è espantoso como, no espaço de poucos meses tanta coisa mudou. Não só nas nossas expectativas mas principalmente nas nosssas atitudes. apesar de algum debate nos media, de algumas declarações politicas mais fogosas, de alguma indignação mais localizada, de alguns dirigentes sindicais mais aguerridos, aceitamos como inevitável esta crise e parecemos resignados a sofrê la. Na esperança ténue, de que um dia passe. enchemos bem o peito de ar, fechamos a boca com força e aceitamos que duranye os próximos anos , nos devemos resumir a tentar manter o nariz de fora de agua, apenas o nariz, sem fazer ondas, sem fazer barulho, sem gritar, sem protestar, sem dar nas vistas, sem viver, ondulando ligeiramente os braços para nos mantermos à tona, sem olhar para o que está à nossa volta. a palavra de ordem é apenas respirar. respiar e esperar. até que passe. Ou até que nos habituemos. Respirar assim só é dificil nos pimeiros tempos. Depois habituamo nos , é uma questão de ritmo.
não é que não queiramos, não é que não gostemos, mas sabemos que fomos vencidos. Não sabemos quando, nem como, nem por quem, mas sabemos que fomos vencidos. è verdade que sonhámos que não iamos ser vencidos mas hoje é evidente que essse sonho não fazia sentido. a derrota era inevitavel. Toda a gente diz......
isto é uma ocupação. Portugal é um país ocupado´e não é o unico. A presença do ocupante sente se em cada rua, em cada esquina, em cada casa, em cada olhar. Os cartazes da propaganda do ocupante. o ocupante diz nos que estavamos enganados e que temos de pensar de uma outra forma. que agimos mal e que temos de pensar de uma outra forma. que estavamos enganados em pensar que tinhamos direitos e temos de abdicar deles porque esses direitos destroiem a economia. que estavamos enganados em pensar que os nossos filhos podiam viver numa sociedade de bem estar e que temos de os desenganar. Que estavamos enganados em pensar que as desigualdades se iriam reduzindo e e que a justiça social era o mais belo dos objectivos. Que estavamos enganádos em pensar que a solidariedade era fonte de progresso, quando só a competição entre as pessoas garante o progresso. Que estavamos engandos em defender soluções colectivas, quando a vitória é sempre individual. quando acreditámos que a saude podia ser para todos. Quando pensámos que a democracia se exprime pelo voto e no espaço publico quando na realidade o poder está no euro , no dolar e nas bolsas. Quando pebsámos que as pessoas são mais importantes que o dinheiro. Quando pensámos que havia sempre alternativas.
Isto não é uma crise porque nã estamos a corrigir nada do que nos trouxe até aqui. Isto não é uma crise porque não estamos a fazer um sacrificio em nome do futuro. Isto é algo que estamos a ser obrigados a reviver em nome do passado. Isto é apenas o regresso do passdao, vitória que julgavamos ter vencido mas que regressou da tumba. Esta é uma vingança do passado, por nos termos preocupado tanto com o presente que nos esquecemos do futuro. Isto é uma ocupação. Uma ocupação com mais colaboracionistas que resistentes, como todas as ocupações. colaboracionistas maravilhados com a pujança do ocupante, com a sua filosofia hegemonista, com a sua musculada e sadia visão do mundo, com um mundo de efeiciencia e sem parasitas. Sem sindicatos e sem esquerdistas. sem solidariedade e com total obediencia aos chefes e ao serviço dos mais ricos.
só que não é possivel viver assim. E apesar de tudo há alternativas. a alternativa é procurar sempre e
incansavelmente a alternativa, sem sacrificar nada do que nos é caro.

in Publico, 27 de Setembro 2011.

Cavaco Silva. " Niguém está imune aos sacrifícios"... exceto o reizinho que vê as vacas sorrir..

«Cavaco Silva está em visita oficial aos Açores e, além da sua mulher, acompanham o Presidente da República mais 30 pessoas, ao longo de cinco dias. Da lista oficial constam o chefe da casa civil do Presidente, Nunes Liberato, também acompanhado pela mulher, quatro assessores, dois consultores, um para os assuntos políticos e outro para a comunicação social, e cerca de uma dúzia de elementos do corpo de segurança, entre eles dois sargentos, um tenente-coronel, um subintendente e cinco agentes principais. Mas da comitiva do Presidente fazem parte também dois fotógrafos oficiais, um médico pessoal, uma enfermeira, dois bagageiros e até um mordomo.
Na chegada ao arquipélago açoriano, questionado sobre o buraco orçamental das contas madeirenses, Cavaco foi parco em palavras, mas reiterou o que já afirmou várias vezes: "Ninguém está imune aos sacrifícios."

liberdade, sérgio godinho

Uma música que fica, infelizmente, mais e mais actual...

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Hospitais dificultam acesso a medicamentos caros... benvindos às gorduras do estado!

Milene Salvador, de 33 anos, tem a doença dos pezinhos. Vive no Luxemburgo e desde o início do mês que está a tomar um medicamento inovador que trava a progressão e os sintomas deste problema genético.

Em Portugal, o sobrinho de 26 anos, não tem a mesma sorte. João (nome fictício) também herdou a doença, mas terá de fazer um transplante de fígado porque os hospitais portugueses não estão a importar o novo tratamento, que custa 130 mil euros por ano por doente.



Conseguir tratamento para doenças que exigem medicamentos caros, que são cedidos gratuitamente nas farmácias dos hospitais, «está a tornar-se mais difícil», denunciam as associações de doentes. «Há hospitais que estão a recusar ou a dificultar o acesso aos medicamentos dos doentes com artrite reumatóide, psoríase ou espondilite», alerta Arsisete Saraiva, presidente da Plataforma Mais Saúde.



Também para Milene, conseguir o medicamento no Luxemburgo, através do hospital de Kirchberg, «não foi fácil». A doença dos pezinhos é ainda desconhecida de muitos clínicos e foi ela quem, já sem conseguir trabalhar, pediu ao médico para ter acesso ao Tafamidis, o primeiro tratamento a conseguir bloquear a progressão da paramiloidose. O remédio foi aprovado pela Agência Europeia do Medicamento e aguarda luz verde da Comissão Europeia para entrar no mercado.



Mas os hospitais podem já encomenda-lo directamente ao laboratório, através de um pedido especial de importação. «Só que não o fazem por ser muito caro», denuncia o enfermeiro Carlos Figueiras, presidente da Associação Portuguesa de Paramiloidose, que na quarta-feira entregou no Parlamento uma petição com oito mil assinaturas exigindo o acesso ao remédio.



Caso contrário, para sobreviver os doentes têm de receber um novo fígado. Paula Dourado aguarda há sete meses uma resposta do Hospital de Santo António, no Porto, ao seu pedido de importação do medicamento. «Continuo à espera. Uma pessoa fica com vontade de emigrar», desabafa, lembrando que, se o tratamento não estiver disponível em breve, terá mesmo de seguir para transplante.



A médica Teresa Coelho – que na Unidade de Paramiloidose do Santo António trata a maioria destes doentes e conduziu o ensaio clínico onde o produto foi testado – reconhece que o preço do medicamento é um entrave à sua disponibilização. «Custa cerca de 130 mil euros por ano por doente. Eu tenho na unidade 100 doentes que têm indicação para o fazer. Estamos a falar de 13 milhões de euros por ano», explica, argumentando: «O hospital não pode assumir sozinho este encargo. Uma decisão passará sempre pelo Ministério da Saúde».



O tratamento – 100% eficaz em 60% dos casos – é uma revolução para quem tem a doença. «Para o doente a diferença é tomar uma capsula diária em vez de fazer um transplante. Mas neste momento está tudo em aberto: o medicamento deve ser aprovado pela Comissão Europeia na próxima semana e terá de chegar ao mercado», explica a médica.



Estratégias dos hospitais para poupar



As dificuldades no acesso a medicamentos caros, como os biológicos, que apenas são distribuídos nas farmácias hospitalares, também são também sentidas pelos doentes com psoríase e artrite psoriática. «Temos um doente que desde Julho tenta aviar a receita na farmácia do Hospital de Ponte de Lima e estamos a meio de Setembro e ainda não conseguiu o medicamento», denuncia Vítor Baião, da Associação Portuguesa da Psoríase. Cada embalagem deste medicamento de última geração custa mil euros e é fornecida gratuitamente a estes doentes.



O hospital reconhece que há atrasos e que a entrega demora no mínimo três semanas.



As restrições repetem-se em várias unidades e sempre com doentes que querem iniciar tratamento. «Estes medicamentos têm de ser tomados sem interrupções, por isso o que os hospitais fazem é atrasar o início do tratamento», acusa.



O mesmo panorama é denunciado pelos doentes com artrite reumatóide ou espondilite, que também precisam de remédios biológicos. «No Hospital de Faro, quando os doentes vão buscar o medicamento, em vez da embalagem com quatro seringas, que dá para um mês de tratamento, recebem apenas uma seringa. Assim são obrigados a regressar ao hospital todas as semanas», conta Arsisete Saraiva, lembrando: «Também o Hospital de Leiria se recusou a entregar a uma doente medicação para dois meses, invocando que os remédios eram muito caros».



O Hospital de Leiria nega que haja qualquer restrição no acesso aos biológicos. Fonte oficial diz ter recebido apenas uma queixa de uma doente «que não tem fundamento» e garante que a regra do hospital é a de fornecer tratamento só para um mês. Já o Hospital de Faro não respondeu ao SOL.



Para o presidente da Associação de Administradores Hospitalares, os hospitais têm de cumprir a lei. «Não são aceitáveis recusas. São medicamentos muito caros, mas o hospital é obrigado por lei a fornece-los». Pedro Lopes admite que haja unidades que criem dificuldades burocráticas no acesso a certos produtos, mas garante que são situações pontuais e que a generalidade fornece os remédios sem problemas.



O bastonário dos Médicos, José Manuel Silva, admite que estas situações são preocupantes: «Se as dívidas dos hospitais às farmacêuticas continuarem é inevitável que surjam dificuldades no acesso aos medicamentos».

Do jornal Sol

vitor gaspar: " o pior ainda está para vir"

Vítor Gaspar: «O pior ainda está para vir» (SAPO)
 Calma lá! mas este não é o senhor que prevê que em 2012 o país começava a crescer? não era este o sábio vindo do estrangeiro que cortava tudo e milagrosamente punha a econimia a crescer? E agora vem dizer o que qualquer tuga médio diz na conversa de café. " O pior ainda está para vir". E sabemos nós, seu palhaço! e o melhor, para quando? isso não dizem estes senhores. E preparam já novo emprestimo para andarmos sempre sobre a canga destes caralhos...

sábado, 24 de setembro de 2011

Manifestações de dia 1 de Outubro, é tempo de AGIR!

cartaz_20111001_750Apesar de haver aí uns senhores a querer partir a espinha aos sindicatos, este são as associações que gente traz para rua na constestação aos Governos de trampa que temos tido. Este de Passos Coelho , é dos mais descarados e atrevidos, e ou o povo se lhe atravessa no caminho ou então isto é uma auto estrada a caminho da Grécia

todos a Lisboa e ao Porto!

Afinal serão mais de 8 mil milhões de dívida... e o numero oficial não saiu ainda...


este bicho da madeira vai nos sair caro. De facto este é uma espécie de kadafi tuga, era muito bom há pouco tempo agora é o diabo! dantes todos se borravam dele, agora todos o criticam. A madeira vai servir para muia "austeridade" do futuro, Vitor Gaspar vai dizer: vamos cortar isto, é por causa da madeira e aquilo também por causa da Madeira. este é um processo infindável.. até o povo querer!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

a visão de um austriaco em atenas... a Grecia como cobaia do capitalismo.

Grécia

Um verdadeiro “genocídio financeiro”

22 setembro 2011
Viena
Thessalonique, 16 de setembro. Um homem imolar-se em fogo para protestar contra o governo, bancos e partidos políticos.
Thessalonique, 16 de setembro. Um homem imolar-se em fogo para protestar contra o governo, bancos e partidos políticos.
                                 
Então os gregos “recusam-se a economizar”? Um jurista de Viena, que tem um apartamento em Atenas, observou-os diariamente. A sua conclusão: economizam ao máximo.
Não podemos deixar de responder às diversas declarações dos mais altos responsáveis de toda a Europa, algumas delas roçando a imbecilidade, sobre estes “preguiçosos” gregos que “se recusam a economizar”.
Há 16 meses que tenho casa em Atenas e vivi in loco esta situação dramática. Ouvem-se queixas de que os planos económicos não vão funcionar porque as receitas fiscais caíram. Põe-se em causa a vontade dos gregos economizarem. Que surpresa! Vejamos alguns factos:
- Redução de salários e de pensões até 30%.
- Redução do salário mínimo para 600 euros.
- Dramática subida de preços (combustível doméstico + 100; gasolina + 100%, eletricidade, aquecimento, gás, transportes públicos + 50%) ao longo dos últimos 15 meses.

Resgate da UE de 97% volta para a UE

- Um terço das 165 mil empresas comerciais a fecharem as portas, um terço sem conseguir pagar os salários. Por toda a cidade de Atenas pode ver-se os painéis amarelos com a palavra “Enoikiazetai” a letras vermelhas – “Aluga-se”.
- Nesta atmosfera de miséria, o consumo (a economia grega foi sempre muito centrada no consumo) diminuiu de maneira catastrófica. Os casais com dois salários (onde o rendimento familiar representava até então 4000 euros), de repente, têm apenas duas vezes 400 euros de subsídio de desemprego, que começa a ser pago com meses de atraso.
- Os funcionários públicos e de empresas próximas do Estado, como a Olympic Airlines ou os hospitais, há meses que não recebem ordenados e os pagamentos a que têm direito foram adiados para outubro ou para o “próximo ano”. O recorde pertence ao Ministério da Cultura. Há 22 meses que os funcionários que trabalham na Acrópole não são pagos. Quando ocuparam a Acrópole para se manifestarem (pacificamente!) receberam rapidamente o troco, em gás lacrimogéneo.
- Toda a gente está de acordo quando se diz que 97% dos milhares de milhões das tranches de resgate da UE voltam diretamente para a UE, através dos bancos, para amortizar a dívida e pagar novos juros. Assim, o problema é discretamente atirado para cima dos contribuintes europeus. Até ao crash, os bancos recebiam copiosos juros e as reivindicações estão a cargo dos contribuintes. Por isso não há (ainda?) dinheiro para as reformas estruturais.
- Milhares e milhares de empresários em nome individual, motoristas de táxi e de camiões, tiveram de desembolsar milhares de euros para pagarem as suas licenças e, para isso, contraíram empréstimos, mas hoje veem-se confrontados com uma liberalização que faz com que os recém-chegados ao mercado não tenham de pagar quase nada, enquanto quem já lá está há mais tempo está onerado com enormes créditos, que tem de pagar.
- Inventam-se novos encargos. Assim, para apresentar uma queixa na polícia é preciso pagar logo 150 euros. A vítima tem de abrir a carteira se quer que a sua queixa seja aceite. Ao mesmo tempo, os polícias são obrigados a cotizarem-se para abastecerem os seus carros-patrulha.
- Foi criado um novo imposto sobre a propriedade associado à conta da eletricidade. Se não for pago, a luz de casa é cortada.

Onde está o dinheiro das últimas décadas?

- Há meses que a escolas públicas deixaram de receber materiais escolares. O Estado deve milhões às editoras e as entregas deixaram de ser feitas. Gora, os estudantes recebem CDs e os pais têm de comprar computadores para que os filhos possam estudar. Não se sabe como é que as escolas – sobretudo as do Norte – vão pagar as despesas de aquecimento.
- Até ao fim do ano todas as universidades estão paralisadas. Um grande número de alunos não pode entregar trabalhos nem fazer exames.
- O país prepara-se para uma enorme onda de emigração e estão a aparecer gabinetes de aconselhamento sobre este assunto. Os jovens não veem futuro na Grécia. A taxa de desemprego entre os jovens licenciados é de 40% e de 30% entre os jovens em geral. Os que têm emprego trabalham a troco de um salário de miséria e, em parte, de forma ilegal (sem segurança social): 35 euros por 10 horas de trabalho diário na restauração. As horas extraordinárias acumulam-se sem serem pagas. Resultado: não sobra nada para investimentos de futuro como a educação. O governo grego não recebe nem mais um cêntimo em impostos.
- As reduções maciças de efetivos na função pública são feitas de maneira antissocial. Foram despedidas, essencialmente, pessoas que estavam a alguns meses da idade da reforma, para lhes ser pago apenas 60% do total da pensão a que teriam direito. Toda a gente faz a mesma pergunta: onde está o dinheiro das últimas décadas? É evidente que não está no bolso dos cidadãos. Os gregos não têm nada contra a poupança, simplesmente, não aguentam mais. Quem consegue ter emprego mata-se a trabalhar (acumula dois, três, quatro empregos).
Todas as conquistas sociais das últimas décadas em matéria de proteção dos trabalhadores se desfizeram em pó. Agora, a exploração te rédea solta; nas pequenas empresas é, geralmente, uma questão de sobrevivência. Quando se sabe que os responsáveis gregos jantaram com os representantes da troica [Comissão Europeia, BCE e FMI] por 300 euros por pessoa, não podemos deixar de perguntar quando é que a situação acabará por explodir.
A situação da Grécia deveria alertar a velha Europa. Nenhum partido que propusesse uma razoável ortodoxia orçamental estaria em condições de aplicar o seu programa: nunca seria eleito. É preciso atacar a dívida enquanto está ainda relativamente sob controlo e enquanto não se assemelha a um genocídio financeiro.

Direcção geral da Qualificação e do Emprego, o IEFP dos funcionários publicos...

Este será o novo organismo da Função Publica, para que os trabalhadores em mobilidade especial  recorram para serem colocados... onde não se sabe visto o Governo querer rebentar com esses limites razoaveis... ainda lhes sucede com os trabalhadores do Montepio que teriam de vir do Porto para Lisboa... e como não quiseram rua! No fundo a direccção Geral da qualificação e do emprego vai dar formação aos desempregados da função publica, e será uma espécie de IEFP para os funcionários publicos. E quem não aceitar a nova colocação, mesmo que longe fica em licença sem vencimento durante um ano ( de castigo para não ser malandro e calão).

Cortes nos salários da função publica não violam constituição...diz o Tribunal (In ) constitucional , a gente bem di´zia que isto estava tudo na lei!

Bem diziamos que este corte está bem e que a Constituição não o proibe! E mais, com esta decisão podem agora surgir:

- mais cortes nos salários dos fps
- cortes nos salários do sector privado!!

ora se se pode cortar o salário da função publica, por causa do estado de necessidade, então uma empresa também pode alegando estado de necessidade quando tem falta de dinheiro, ou não?

corte se tudo como diz o Mira Amaral, esse filho querido do capital, o que está dar é um corte nominal nos salários e/ ou aumento dos horários... eis a resposta para a crise disse Mira Amaral !

O tribunal ( In) Constitucional de certeza concorda com esta solução de Mira Amaral... O tribunal
 ( In) Constitucional serve os interesses do PS e PSD, e os seus juizes são nomeados por estes partidos , esperavamos o quê??? Gosto é da parte do corte ser provisório, é engraçado, dura , enquanto o estado de necessidade durar, até haver novo corte!

Divida da Madeira será de quase 6 mil milhões de euros? A grande mentira é de afinal muitos sabiam...

já aqui tinhamos dito. era mentira que não soubessem do problema da Madeira. sabiam o T Contas da Madeira AFINAL AVISAVA MAS NINGUEM LIA... e assim iam passando os anos , ninguem queria saber e depois o Banco de Portugal e o INE, disseram eh pá agora deu nos para ler os relatórios do T Contas madeirense e a coisa tá preta... era mentira, quem governa sabia, Vitor Gaspar sabia ( daí o imposto sobre o subsídio de natal que foi apelidade de preventivo, preventivo de quê? desta bronca da madeira...), todos sabiam . Mas queriam esconder!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Intervenção de Débora Santos, sem papas na língua e até arrepia!

Numa linguagem simples cheia de força deixamos a intervenção de Débora Santos na festa do Avante. Que força!

Mira Amaral , o ladrão do BPN propõe ou redução nominal de salários ou aumento do horário de trabalho.

Este senhor, que tem não sei quantas reformas , uma delas de cerca de 9 mil euros pelo pouco tempo que teve na Caixa Geral de Depósitos veio dar nos a escolher:
-  ou redução nominal dos salários
- ou aumento do horário de trabalho,

este ladrão, afirma que isto era a alternativa possível e que nuca poidiamos sair do euro... è estranho todos os filhos da puta dizem que devemos mantermo nos no euro, Ele é Mira Amaral, os comentadores do dinheiro, a Sr Merkel, etc... é porque deve ser correctissima e boa a nossa saída. O que é bom para Mira Amaral é de certeza mau para os trabalhadores e o povo!

Despedimento por objectivos inalcançados...inspiraram se no SIADAP

Oposição condena alterações a despedimento por justa causaEstes senhores não precisam de inspiração, mas o SIADAP já prevê que um trabalhador com 2 inadequados possa ser despedido. Neste caso a proposta do Governo é mais directa, não chegas ao objectivo que eu defini, então vais para a rua... basta pôr um objectivo mais dificil é seria uma maravilha..Na função pública onde colocados ojectivos muitas vezes inatingiveis uma lei destas era sempre a aviar, melhor a despedir. Por exemplo na Segurança Social onde os objectivos são loucos e inatingiveis era sempre a despedir...

O sorriso das vacas, as anonas são as precupações de Cavaco!

O país a cair de podre, as pessoas aflitas, as empresas aflitas, os trabalhadores aflitos, os desempregados à rasca e Cavaco repara no Sorriso das Vacas fala das anonas... Trata se da preocupação de quem tem uma Presidencia da Republica que gasta milhões...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Hora de Mudança, Bob da Rage Sense

Protestos frente a Wall Street contra o sistema financeiro.afinal nem todos aceitam as regras na sede do capitalismo!

 Mais uma notícia que foi censurada por cá. desde Sábado que manifestantes estão frente a Wall Steet protestando contra o sistema financeiro. Já foram detidos 7 pelo que se sabe. esta luta é inspirada pelos indignados e pelas revolatas árabes e começam  a fazer mossa nos EUA. e é preciso que cresçam mais e mais até se tornarem mesmo em luta de massas!

Amuo, Clã

parece que o povo português anda assim a modos que envergonhado, melhor dizer , amuado, pensava que votava na mudança ( totós) e votaram na continuidade para pior. por isso deixamos a musica dos Clã, com Fernanda Takai ( dos pato Fu) em parceria com Manuela Azevedo, uma maravilha

terça-feira, 20 de setembro de 2011

entrevista De Passos Coelho à RTP é elucidativa

A entrevista de Passos Coelho de hoje foi elucidativa: as "gorduras do estado" são a SAUDE, EDUCAÇÂO e a SEGURANÇA SOCIAL... foi bem claro na entrevista. Ai queriam cortes na despesa, então destrua se o SNS, a Escola Publica e a Segurança Social...por outro lado confessa que depois destes 3 a 4 anos o país pode ficar sem resposta da economia ( é por demais evidente que será o nosso destino). O que vale é não somos a Grecia...dinamização da economia, invcentivos à produção nacional zero. Foi um caminho de desastre anunciado de forma doce... o português médio gosta!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

joão Proença é contra a austeridade na Polónia, mas por cá nada faz... a isto se chama turismo sindical..

Este fim de semana lá foi uma delegação da UGT passear até à Polónia, manifestar se contra as políticas de austeridade. até não tinha mal se a UGT mantivesse a coerência e por cá também se manifestasse nas ruas contra a austeridade. Mas isso não! por cá ficam dentro da toca. Só quando cheira a passeio é que lá vão eles contra a austeridade de rabinho alçado... fazer o seu turismo sindical, a brincar às lutas. ficamos à espera que levantem os rabinhos gordos para se manifestarem no seu próprio país...

Destruição do Serviço Nacional de Saúde, é tempo de rever Sicko, de Michael Moore...

Nem sempre os EUA foram a vergonha que são hoje em matéria de saúde... com as pessoas sem seguro a não terem tratamentos e quem tem seguros a ser maltratado ou com recusa de tratamentos... Agora que vão destruir o SNS, é tempo de rever ( ou ver quem não viu) o documentário Sicko, de Michael Moore. e já agora dizer que aqueles voluntários do 11 de Setembro, que tiveram tratamento recusado nos EUA, e foram tratados em Cuba, foram perseguidos pela adiministração Bush...Agora que todos sabemos que os EUA nunca terão um Serviço Nacional de Saude, sabemos também o que Paulo Macedo e companhia têm em mente... para implementar. Esperamos estar errados!

domingo, 18 de setembro de 2011

Jerónimo de Sousa diz que Portugal vai no caminho da Grécia...é verdade, e vamo nos ver gregos para de lá sair

Jerónimo diz que Portugal está a seguir caminho da Grécia



18 de Setembro, 2011
O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou na noite de sábado em Setúbal que as sucessivas medidas de austeridade estão a levar o País para a mesma situação dramática que se vive na Grécia.«Estamos a fazer tudo da mesma forma, passo a passo, para chegar à dramática situação da Grécia de hoje. Pacote de austeridade atrás de pacote de austeridade, que aprofundam a crise social e acrescentam recessão à recessão existente», disse.
«É o caminhar para o abismo que estamos a percorrer, já que sem criar riqueza, sem criar emprego, o país ficará preso na armadilha da dívida e continuará à mercê da especulação e da chantagem, hoje com o argumento do défice, amanhã com o argumento da recessão ou do fraco crescimento», acrescentou o líder comunista.
Jerónimo de Sousa, que falava a cerca de 600 apoiantes num comício realizado no pavilhão dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, lembrou que os «programas de austeridade severa e de venda do património ao desbarato, não salvaram a Grécia; empurraram-na ainda mais para o fundo».
«A salvação não está no cumprimento dos programas financeiros ditados pelos interesses financeiros, mas na sua recusa», argumentou, acrescentando que o «sucesso do programa da troika estrangeira [em Portugal], que é também o programa do governo, será a tragédia do nosso país».
Em vez das medidas aprovadas pelo governo português, muitas delas previstas no programa de assistência financeira, que considerou penalizarem principalmente os rendimentos do trabalho, Jerónimo de Sousa defendeu a necessidade de «mais justiça fiscal».
«Não abdicamos de lutar por mais justiça fiscal, como estamos a fazer com as propostas que apresentámos na Assembleia da República para tributar os bens, o património de luxo, os dividendos, as mais valias mobiliárias das SGPS ou Fundos de Investimento e outros rendimentos do capital», disse o líder do PCP.
Reafirmando a oposição do PCP ao aumento de impostos sobre os rendimentos do trabalho, ao aumento dos transportes e ao que considerou ser «a destruição das conquistas de Abril e a subversão do regime democrático, prioritariamente na sua dimensão económica e social», Jerónimo de Sousa apelou a uma grande participação dos portugueses na manifestação da CGTP no dia 1 de Outubro, em Lisboa.
Lusa/SOL


Trata se de uma evidência que aqueles ( e são muitos) que andam anestesiados com a conversa oficial de quem nos tem governado é que não veem...Menos consumo ( uma quebra que já vai em cerca 4 por cento), mais falências, mais desemprego, um ciclo vicioso infernal é o que aí está e que aí vem. Duas coisas são essenciais . a RENEGOCIAÇÂO da Dívida, à semelhança do que sucedeu em países da américa latina ( Argentina, por exemplo) e que nos permita crescer e para de impor esta brutalidade de paragem da economia e a saída negociada do euro. Se na renegociação da dívida o PCP tem sido clarissimo e dos únicos a colocar a questão, relativamente à saída do euro não tem sido( e foi , e bem contra a entrada para o euro) , dizendo que deve ser discutida esta matéria. Por nós parece evidente que não há saída dentro da eurozona e do seu colete de forças...

Hospital Garcia da Horta cobra taxa " moderadora" sem os doentes irem ao hospital...

Garcia da Orta (estátua)De facto é extraordinário ou talvez não. Os doentes recebem uma carta para pagar uma taxa "moderadora" sem terem ido a nenhuma consulta... o que sucedeu foi que os médicos fizeram só  uma reunião. De facto o conceito de taxa moderadora dizia se que era para não as pessoas não abusarem do SNS em especial  , as urgências. agora o doente sem saber foi a uma consulta. eles andam a testar a paciencia dos tugas e até ao momento o teste tem decorrido bem...para eles! E ainda falta saber o novo valor das taxas " moderadoras"...

Saída do euro é mesmo...inevitável ( esta palavra está mesmo na moda)

iO euro foi feito para servir a Alemanha e a sua estratégia de expansão económica para dentro da UE, por isso hoje temos alguns materiais todos comprados à Alemanha. Um exemplo: o aço vem todo da Alemanha. Mas voltando ao euro, o que era visto como uma loucura, o fim do mundo, etc... parece vir a ser mesmo inevitável...aliás a palavra inevitável está na moda. é inevitavel perder isto, perder aquilo, ficar mais pobre, etc... qualquer economista reles que olhe para Portugal sabe que Portugal precisava de desvalorizar a sua moeda, mas não o poderá fazer... pois está amarrado ao euro. a saída tem custos? Tem , e ficar no euro, a caminho do desastre?

ministério da administração interna, o único sem cortes... para poder reprimir os "tumultos"

ExpressoTodos os outros ministérios têm cortes, por exemplo na saúde, o corte é superior a 1000 milhões de euros, muito será encerrado , muito vai corerr mal no SNS e noutros sectores... mas eis que no ministério da administraçãi interna, não haverá cortes... porquê? porque eles sabem o que vão fazer... e sabem que vão provocar tumultos... e é necessário alguém para os reprimir.

sábado, 17 de setembro de 2011

A Europa na insolvência...o caminho da concemtração capitalista!

"O COLAPSO DA EUROZONA É QUASE CERTO" "A menos que haja uma mudança dramática e simultânea na política da Itália, da Alemanha e do Banco Central Europeu, o colapso da eurozona é quase certo. Nem a Itália, nem a Espanha, Portugal, Irlanda ou Grécia serão capazes de manter a sua condição de membros da eurozona e manter a sustentabilidade da sua dívida soberana com os spreads actuais da taxa de juro. Alguma coisa terá de ceder". Quem afirma isto é um editor do Finantial Times, Wolfgang Munchau. O seu artigo pode ser lido em Eurointelligence .
Face a isto, cabe perguntar para onde nos leva a subserviência do governo PSD/CDS aos ditames da troika FMI/UE/BCE. O desligamento de Portugal da eurozona é inevitável e os sacrifícios agora impostos aos portugueses são inúteis. No fim do programa da troika Portugal estará numa situação económica pior do que agora. Não há luz no fundo deste túnel.

aumento de electricidade em 30 por cento? Não, já vieram dizer, este é truque clássico de pedir tudo para levar muito...

é um clássico da comunicação social do Governo e do Capital: faz uma afirmação por exagero. Diz se : vai morrer a tua familia toda, mas depois diz se, não é só um primo ou dois...
Aqui o truque é o mesmo: Vai aumentar a electriciade em 30 por cento... depois dizem Não nada disso, e "só" aumenta 15 ou 20 por cento deixando o povo a respirar de alívio com um aumento tão pequeno...
O mesmo foi feito com o subsídio natal. notícias de corte do subsídio, corte total, depois uma boa notícia: é só metade....
A isto chama se terrorismo comunicacional..

Portugal não é a Grécia e a Madeira é mesmo Portugal...

a Madeira é mesmo Portugal, de facto e composto por pessoas de mentalidade portuguesa. Elege por vontade do povo o mesmo malandro para o poder. quando sob ataque como é caso, jardim é genial e já veio dizer que não corta na função publica nem nas obras... o que é suficiente para ganhar nova maioria absoluta. Dizem que Jardim escondeu a dívida, mas não acredito... com que então onde estão as ditas entidades fiscalizadoras da treta? O Banco de Portugal , mais uma vez a dormir andava... è uma mentira retinta que por cá não suspeitassem do numero asronómico, não queriam era saber... se ninguém lhes dissesse melhor ainda. E de facto é mais numero que leva a que o défice suba, e se imponham mais e mais sacrificios para os Portugueses. Uma coisa jardim tem razão, a seguir a esta "descoberta" de dívida, há de vir outra qualquer, and so o, ando so on para impor a usteridade eterna, até o país cair não levantar mais durante os próximos 20 anos...e é sempre giro ouvir que estamos muito melhor que a Grécia, deem nos tempo para a nossa recessão crescer... um mihão de desempregados, quebras no consumo publico  de 4,5, de 3,4 no privado, previsão de quebra do PIB de 2,2 em 2012, e mais de 3000 empresas encerradas desde o inicio do ano... o que vale é que isto não é como na Grécia. Estamos a enganar quem?

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Extinção de serviços públicos: um cheirinho de Marques Mendes, mas não serão só estes...

extinção de serviços por Marques Mendes...

Marques Mendes apresenta lista com dezenas de institutos públicos que podem ser extintos

                           
(Pedro Cunha)
Marques Mendes, ex-presidente do PSD, apresentou hoje uma longa lista de institutos, fundações e serviços do Estado que na sua opinião podem ser extintos ou alvo de fusões.
No seu comentário semanal na Edição das 22h na TVI24, Mendes explicou que era uma “lista exemplificativa” e “não taxativa”, por entender que se “pode ir ainda mais longe”, que tem como objectivo contribuir “para uma discussão concreta e não apenas teórica e centrada em generalidades”.

“Extinguir organismos - inúteis ou com competências duplicadas e sobrepostas - representa uma mudança estrutural no Estado e não apenas conjuntural, como, por exemplo, o corte de salários”, afirmou o social-democrata no espaço de informação conduzido pelo jornalista Paulo Magalhães.

São várias dezenas de exemplos que Marques Mendes explica porque extinguia ou fundia, fundamentando as razões e dizendo até o que se poderia poupar.

Um dos casos apontados é a extinção dos 18 governos civis. E Mendes explica porquê: “Hoje os governos civis não fazem qualquer sentido; estão desprovidos de competências; as suas pequenas competências (de carácter administrativo e de concessão de licenças de exploração de estabelecimentos) podem passar para as câmaras municipais (com vantagem de proximidade para os cidadãos); a sua extinção permite poupar significativamente (porque têm grandes estruturas de pessoal); servem de “sacos azuis” de vários governos; o PSD, em 2002, prometeu a sua extinção mas também falhou (não cumpriu) por falta de vontade política.”

Para Marques Mendes a extinção ou fusão de organismos financiados pelo Estado permitiria “menos burocracia, menos clientelismo e menos estruturas e dirigentes”. “São menos administradores, menos departamentos administrativos, financeiros, de contabilidade, de aprovisionamento e de pessoal”, acrescentou. O ex-presidente do PSD diz saber que “haverá muitas resistências”, porque “todos, no seu caso particular, encontrarão explicações para o seu serviço não ser extinto”. “É preciso haver forte vontade política”, conclui.

A lista de Marques Mendes

Ministério das Obras Públicas - 4

1. INIR (Instituto Nacional de Infraestruturas Rodoviárias)

a) Funções de Regulação (Parcerias Público-Privadas) e de Fiscalização da Rede Rodioviária Nacional;
b) São competências que já estão hoje na EP Estradas de Portugal e no IMTT (antiga Direcção Geral de Viação).

CONCLUSÃO: PODE SER EXTINTO.

2. GISAF (Gabinete Investigação e Segurança de Acidentes Ferroviários.

a) Funções de Investigação quando há acidentes ferroviários;
b) Funções que também estão na CP e na REFER (quando há um acidente ferroviário é a CP ou a Refer que trata do assunto).
c) Parece um instituto criado para colocar um socialista desempregado da gestão das EP dos Transportes (João Crisóstomo).

CONCLUSÃO: PODE SER EXTINTO.

3. NAER (Instituto para estudar e Conceber o Novo Aeroporto de Lisboa)

a) As suas funções podem perfeitamente passar para a ANA, EP (Empresa de Aeroportos e Navegação Aérea)
b) É uma racionalização óbvia e necessária.

CONCLUSÃO: ESTE SERVIÇO PODE SER EXTINTO.

4. Fundação das comunicações móveis (uma das centenas que existem – pendurada no Estado)

a) Tratou do computador Magalhães;
b) Estado nomeia os seus gestores (clientelas);
c) AR já propôs a sua extinção em relatório aprovado;
d) Governo fez vista grossa. O Governo gosta mais de reduzir salários que extinguir serviços.

CONCLUSÃO: PODE SER EXTINTA

Ministério da Agricultura - 3

1. No âmbito do PRODER (QREN da Agricultura) há 2 serviços:

a) Gabinete do Planeamento (Concebe Projectos e Gere o Programa); e o
b) IFAP (antigo IFADAP) – Paga e fiscaliza os apoios concedidos.

CONCLUSÃO: O Gabinete de Planeamento pode ser extinto e as suas competências passarem para o IFAP.É mais coerente, evitam-se sobreposições de competências e poupa-se dinheiro público.

2. Fundação Alter Real

a) Competências sem relevância para serem autonomizadas numa fundação pública;
b) Tem cinco administradores – presidente é o presidente da Companhia das Lezírias.CONCLUSÃO: A fundação pode ser extinta e as suas competências integradas na Companhia das Lezírias (hoje até já o presidente é o mesmo).

3. No âmbito da Barragem do Alqueva há duas entidades:

a) a EDIA (190/200 funcionários) que tratou da construção da barragem do Alqueva; e a
b) GESTALQUEVA (trata do fomento do turismo na zona do grande lago)
c) Não há razão nenhuma para esta duplicação de organismos:

Primeiro: EXTINGUIR A GESTALQUEVA, colocar as competências na EDIA ou concessionar a privados (fomento do turismo);
Segundo: EMAGRECER A EDIA (já acabou a construção da barragem).

Ministério do Trabalho e da Segurança Social – 9

1. Há neste Ministério sete organismos consultivos (uma loucura):

• Conselho Nacional da Formação Profissional
• Conselho Nacional da Higiene e Segurança no Trabalho
• Conselho Nacional de Segurança Social
• Conselho Nacional do Rendimento Social de Inserção
• Conselho Nacional para a Reabilitação
• Conselho Consultivo das Famílias
• Comissão de Protecção de Políticas da Família

Minha Proposta:
• Extinguir todos (para estas tarefas existem direcções-gerais com as mesmas áreas de competência).
2. Ao nível de outros serviços – estes de natureza executiva - podem ser feitas várias outras extinções.

Assim:

a) O Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério da Segurança Social pode integrar as competências do Instituto de Informática e do Instituto de gestão do FS Europeu (competências afins e sobrepostas). MENOS DOIS ORGANISMOS.
b) Dois institutos – o Instituto da Segurança Social e o Instituto Nacional para a Reabilitação podem ser extintos e as suas competências (hoje afins e sobrepostas) serem integradas na Direcção-geral da Segurança Social. MENOS DOIS ORGANISMOS

Mistério da Saúde – 3

1. Alto Comissário para a Saúde (Orçamento de 30 milhões de euros)

a) Criado por Correia de Campos no Governo Guterres;
b) Veio o Governo do Durão Barroso e extinguiu-o:
c) Voltou Correia de Campos no Governo Sócrates e voltou a criar;
d) O Alto Comissário – veja-se bem – tem estatuto de membro do Governo (sub-secretário de Estado)
e) CONCLUSÃO: Pode ser extinto e as suas competências passarem para a Direcção-geral de Saúde (actualmente são competências sobrepostas).
f) Se a moda pega passamos a ter o Alto Comissário da Justiça, da Segurança Social, da Economia, da Comunicação Social, etc. etc.
g) Haja Bom Senso. Temos de POUPAR, extinguindo este organismo inútil.

2. Conselho Nacional de Saúde – Mais um Conselho Consultivo

a) Orgão Consultivo do Ministério da Saúde
b) Não faz sentido. A D G Saúde faz na perfeição esse papel. É a sua competência legal.
c) Mais um serviço que pode ser EXTINTO

3. Instituto da Droga e da Toxicodependência

a) Ao nível central tem cinco coordenadores – Equiparados a directores-gerais.
b) Ao nível regional tem cinco directores regionais
c) Tem cerca de dois mil funcionários (1/3 nos Serviços Centrais) – Uma loucura
d) As suas funções são no domínio da Saúde Pública
e) Pode perfeitamente SER EXTINTO, as suas competências locais integradas nos Centros de Saúde e as suas competências centrais na DG Saúde (é área de saúde pública)
f) Área de Estudos (quando for o caso encomendar às Universidades e Centros de Investigação)

Ministério do Ambiente – 3

1. Na área do ambiente há três institutos importantes:

a) Agência Portuguesa do Ambiente;
b) ICN – Instituto Conservação da Natureza;
c) INAG – Instituto Nacional da Água

• Têm todos competências muito semelhantes e, nalguns casos, sobrepostas.
• Seria possível e desejável fundir tudo num único organismo – a Agência Portuguesa do Ambiente.
• É o exemplo inglês (apontado normalmente como referência)
• Poupa-se imenso:Passamos a ter um único instituto em vez de três
Passamos a ter uma única administração em vez de três
Passamos a ter uma única estrutura administrativa, de contabilidade e financeira, em vez de três
Passamos a ter um único orçamento em vez de três
Passamos a ter menos pessoal e menos encargos

2. Ao nível regional temos a seguinte estrutura sobreposta:

a) As Comissões de Coordenação Regional têm competências na área do ambiente;
b) As ARH – Administração Recursos Hídricos, mesmo assim, existem como estruturas autónomas (cinco ARH/ cinco concelhos de administração/ cinco orçamentos/ cinco estruturas administrativas). Os organismos mais BUROCRÁTICOS que existem em Portugal.
c) Podem extinguir-se as ARH e integrar as suas competências nas CCDR

GANHO DE POUPANÇA. GANHO DE DESBUROCRATIZAÇÃO

Ministério da Administração Interna - 18

1. Extinção de 18 Governos Civis

a) Hoje, os Governos Civis, não fazem qualquer sentido;
b) Estão desprovidos de competências;
c) As suas pequenas competências (de carácter administrativo e de concessão de licenças de exploração de estabelecimentos) podem passar para as Câmaras Municipais (com vantagem de proximidade para os cidadãos);
d) A sua extinção permite poupar significativamente (porque têm grandes estruturas de pessoal)
e) Servem de “sacos azuis” de vários governos
f) PSD em 2002 prometeu a sua extinção mas também falhou (não cumpriu) por falta de vontade política.

Ministério da Educação – 2

1. Três Institutos com Competências Duplicadas/Sobrepostas:

a) GAVE – Gabinete de Avaliação Educacional
b) GEP – Gabinete de Estudos e Planeamento
c) MISI – Gabinete Coordenador do Sistema Informático do ME (recolha de Informação)
CONCLUSÃO: Destes três serviços, dois PODEM SER EXTINTOS e concentrar competências num único.

Vantagens:

• São Menos Administradores
• Menos Assessores
• Menos Pessoal
• Menos Despesa
• Menos burocracia

2. Direcções Regionais de Educação – Emagrecer

• Em termos de dimensão estão a atingir proporções gigantescas.
• Quadros de pessoal aumentaram significativamente nos últimos anos.

Assembleia da República – 2

1. Comissão Nacional de Eleições:

a) Estrutura permanente encarregue de fiscalizar os actos eleitorais;
b) A seguir ao 25 de Abril podia justificar-se;
c) Agora não faz sentido ser uma Comissão Permanente;
d) ABSURDO – Funciona em Permanência (365 dias por ano) mas só tem competências quando há eleições (nos 30 dias antes das eleições);
e) Pode ser extinta e as suas competências integradas no STAPE (Secretariado Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral, no MAI); ou quando muito, Ser uma Comissão Eventual (a funcionar só nos períodos eleitorais).

2. CADA – Comissão Nacional de Acesso aos Documentos Administrativos

  •                      

 

 

 

Dominatroika, ela espanca e povo até gosta...

Contestação social em Portugal: os tugas dormentes vão acordar maldispostos!

Tugas dormentes, acordai! Acordai e não fiqueis anestesiados com os atestados de bom comportamento que Durão Barroso, o FMI, a UE vão passar... São pessoas que vão perder postos de trabalho, é vida que fica num inferno , e tudo mais, é o país que vai ao fundo. Se eu acreditasse em teorias da conspiração, achava que estavam a por sedativos na àgua... e como tal o pessoal andava anestesiado. encolhem os ombros, vergam o lombo, pois ainda não viram a dimensão do problema...que Passos , Portas, mais troikistas que a troika vão criar... E só depois confrontados com os problemas concretos acordarão estremunhados do seu longo sono. quando acordarem já será tarde, a luz, a electricidade, os transportes e agua (privatizada) terão preços incomportaveis, estaremos semelhantes aos gregos e vamos nos ver gregos para sair desta burrada. E metam uma coisa na cabeça: Só a saida da zona euro nos poderá salvar...

Itália. Contestação ao pacote de austeridade leva a confrontos com polícia... por cá tudo na paz do senhor!

Na Itália a aprovação do pacote de austeridade levou a tumultos frente ao parlamento... é bem verdade que o vo está cansado de Berlusconi e sua clique mafiosa, mas em contrapartida por cá há uma calmaria tão estranha...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Hospital de Braga, gerido pelo Grupo Melo, multado pela quarta vez...

O relatório da ARS do Norte é simples. O Grupo Melo não cumpre o contrato no Hospital de Braga. Não tem as urgencias a funcionar 24 horas, tem falta de médicos, e envia doentes das especialidades mais caras para os Hopitais de Gestão Publica... Assim é fácil. Estas PPP,s são uma treta e se não fosse os Hospitais Publicos coitadinhos dos doentes...O grupo Melo diz que não vai pagar a multa e pronto, eles é que mandam...

Passos e Mário Nogueira frente a Escola em Viseu... anda qualquer coisa no ar!

 
anda qualquer coisa no ar. O Governo vai cortar. Cortar forte e feio. Na Saude mais de mil milhões de euros ( a troika só queria 375 milhões), na educação 8oo milhões este ano,  mais 500 milhões para o ano, and so on , and so on... e quando o Primeiro Ministro e um líder sindical dos professores, têm um encontro deste género... há qualquer coisa de estranho. Isto após o maior despedimento de professores. Não é preciso existirem tumultos ( para já), mas tanta simpatia é coisa estranha... e de facto anda qualquer coisa no ar... o povo anda anestesiado... dormente e os líderes reflectem isso mesmo!

José Seguro ou arte de se fingir esquerda...quando na oposição...

Até mandaram a rosa descansar, agora voltaram ao punho. quando voltarem ao poder usam a rosa novamente. é como lhes dá jeito, fingem se esquerda na oposição e são direita pura no Governo. ao menos PSD e CDS enganam menos ( mas também enganam).... agora o PS é muito amigo dos trabalhadores e do povo...

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Juros gregos perto de 100 por cento... toma lá 1 euro, dá cá 2! A caminho do inferno, com bilhete tirado!

Deixamos a versão de Karem Lanaud de Higway to Hell, pois sabemos que o destino grego é também o destino Português.... e irlandês, é tudo uma questão de tempo!E por muito que os portugueses se encolham esperem daqui a um ano se não estaremos no mesmo filme grego. Pois é, quando a Grécia estourar os "mercados" viram se para os tugas...E estes juros de 100 por cento na Grécia é o sinal que eles sabem que falta pouco tempo ( Os "mercados" têm ajudado a isso mesmo) para que a Grécia estoure , saia do euro... e deixe de pagar e entre em bancarrota. Depois seremos nós. até lá viva este calorzinho de final de verão...

comissário alemão propõe que países incumpridores tenham a bandeira a meia haste...ou as "orelhas de burro europeias"

Oettinger defendeu que as bandeiras dos "pecadores da dívida deveria ser postas a meia haste"é surreal o desplante a que se arroga este senhor Comissário Europeu da Alemanha. Propõe qie Portugal, Grecia, Irlanda, os países mau comportados tenham a bandeira a meia haste nos encontros europeus... uma espécie de "orelhas de burro" europeias. quando chegamos a este nível , é tempon de sair do Euro e da União europeia e bem depressa, antes que ponham a bandeira alemã em Portugal...

domingo, 11 de setembro de 2011

FNE e similares assinam acordo de novo sistema de avaliação, com as famosas quotas...

Federação Nacional da Educação a FNE, ugt e similares lá assinaram o acordo do "novo" sistema de avaliação de professores. O que era uma aberração no passado para Nuno Crato, será agora uma coisa boa, com ajuda da UGT. Aliás a UTG e ( e talvez até parte da FENPROF), só lutaram quando os profs os obrigaram a isso. Com este tiro na falsa unidade FNE / FENPROF é complicado continuar... mas vai ter de ser. Este Governo não merecia este acordo! depois do maior despedimento de profs, isto é sopa no mel para o Governo...
A UGT já antes e para os reles funcionários publicos havia assinado as diversas versões do SIADAP, um sistema ainda pior que o dos professores. Resta um consolo com as progressões congeladissimas, estas avaliações serevem para quase nada...
o que é curioso é como é que UGT e companhia ainda têm associados...

no fundo assistimos a um clássico de traição!

Vasco Pulido Valente- " O vínculo" ou a tremendista criatura que saliva com a ideia de despedir fucionários públicos

" Há em Portugal uma casta priveligiada que não pode ser despedida ou despromovida, que vai crescendo, sempre sem necessidade ou razão visivel, que se criou por influencia pessoal ou política e em que ninguém se atreve seriamente a tocar. já se percebei que estou a falar do funcionalismo público, de que fazem parte nada mais, nada menos do 700 mil criaturas ( se as contas estão certas o que é duvidoso)..."in Publico de 10 Setembro 2011.

E há em Portugal uma casta de comentadores de MERDA, que servem só para escrever o que muitos Governantes querem. Este senhor nunca terá ido a um hospital, nunca terá necessitado de ser tratado por um médico, uma enfermeiro, um auxilar: Nunca terá posto os seus filhos na escola pública...
e este senhor apesar de ser UM VELHO GAGÀ que já não dá uma para caixa, continua a escrever no Publico, porque escreve trampas deste tipo.

cara CRIATURA ( como chama aos trabalhadores da função pública):
- não são actualmente 700 mil ... pois na sequencia de tudo o que de bom , no seu conceito, foi feito pelo Governo Sócrates serão menos uns 100 mil, portanto uns 600 mil, muitos certamente para si. Mas são estes que estão nas escolas aturar os meninos mal criados, resultado da sua geração, que estão nos hospitais cuidando ( e em geral bem ) da nossa saude.

- São estes que tiveram o salário reduzido recentemente, são estes e muitos auxilares que vivem com 500 euros ou 600 a quem o senhor chama de privilegiado.

- Priveligiado é você e todos os TUDÒLOGOS ( aprendemos esta com o antónio ribeiro ferreira), que comentam tudo o que sabem e muito do que não sabem.

- De facto você é daqueles que sempre esteve com COMENTADOR, sem que uma ideia para o país apresentasse. Para si vem sempre aí o fim do mundo. Descanse você e nós havemos de morrer certamente, mas algum caminho este país há de tomar. não será sempre é este caminho de miséria que o senhor defende.

- por favor, estude, avance e  não seja só um lançador de ódio... poisa nada mais faz do que isso!

Pode ser que um dia precise de um funcionário público num Hospital ,num INEM, e até venha a ser bem tratado.... se calhar, sem merecer.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

António Ribeiro Ferreira, o homem que "aconselha o Governo a partir a espinha aos sindicatos"

este senhor já devidamente identificado, como direitista mesmo fascista já não surpreende o tripalio... já o conheciamos. trata se de um trauliteiro  de direita, que ainda não houve nenhuma greve, nem nada, ainda o país está a acordar das férias já está aconselhar partir a espinha aos sindicatos. Chegará partir a espinha? Mesmo tetraplégicos ainda mexerão os bracinhos...O melhor será cortar lhes a cabeça, não?? Em democracia é dificil extinguir os sindicatos, mas como isto já é uma espécie de democracia, já não dizemos nada....

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Imperialismo alemão, excertos...

Uma parte da intelegencia alemã não mudou mesmo, senão vejamos um excerto do jornal Dusseldorf " Handelsbant" , jornal económico:

" a fraqueza da Europa é a força da Alemanha e porque não haja dúvida de que a Europa não pode ser grega, italiana ou mesmo francesa( mas apenas alemã)"

" a Alemanha tem de possibilitar a Europa. Mercado Livre, União Monetária, aprofundamento da integração política correspodem aos interesses alemães. Mas a Alemanha não deve dissolver se nesse processo"

" A casa europeia é demasiado frágil para nós podermos lá morar"

" O mnistro europeu do tesouro não está em Bruxelas. está em Berlim. o verdadeiro chefe do Governo não é o Sr Van rompy, mas o ministro das finanças alemão. Nunca como hoje os intersses alemães e europeus se confubdiram tanto. O caminho da Europa ou passa por Berlim ou não vai a lado nenhum"

comentários mais para quê , as palavras falam por si.

cortes na saude: ora aí estão as famosas " gorduras do estado" a aparecer...

Públicodeixar de  comparticipar vacinas do cólo du útero e outras, reduzir comparticipação aos produtos dos asmáticos,  fechar centros de Saude ( são para já cerca de 100) com cerca de 1500 utentes. Começamos a vislumbrar as famosas gorduras de tanto falam os filhos da mãe dos comentadores que nos entram pela casa todos os dias ( se deixarmos e ligarmos a TV). Percebem muitos portugueses que não são gorduras , são todo um conjunto de serviços e produtos essenciais à saude das pessoas. Mas como disse o Vitor Gaspar, 85 por cento do povo que votou , votou no programa da troika... agora aguentem! Será mesmo assim?

Mário Soares, os mercados e " revolução a sério", ou o cinismo de um camaleão...

é de facto extraordinário. Parece um grande visionário mas nada viu. Não viu nem alertou para a mentira que era o projecto da União Europeia, e pior incentiva o federalismo. Agora com os cortes na Saude anunciado critica os mercados e fala que vem aí uma "revolução a sério". O maior contra revolucionário, o homem que mais conspirou com os EUA , vem agora falar em revolução a sério. Pode de facto suceder e a Europa tem o virus da revolução, mas não é com estas figuras camaleónicas que lá chegaremos. Uma vez diz que vivemos acima das possiobilidades, outra vez diz que ai ai as revoluções, enfim , um clássico, mas o povo gosta muito destas tretas assim...

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Liberdade de expressão, Expensive Soul

Na Festa do Avante deram um grande concerto. Fica aqui a nossa homenagem.

Os tumltos de passos e as Greves de Portas, ou tiros para o ar de gente assustada...

O país está agora ainda a abrir os olhos da prolongada pausa de Julho e Agosto em que entre trabalho com calma e férias ( às vezes stressantes) , se regressa mesmo ao trabalho e a tomar atenção ao que vai suceder. As pessoas regressam paulatinamente às suas actividades e trabalho (os que ainda o conservam). Eis senão quando no cenário aparece Passos a falar de tumultos e Portas a falar de Geves...que empobrecem. Ainda os sindicatos estão esperando que os trabalhadores voltem aos locais de trabalho já andam a dar tiros para o ar. O país meio estremunhado ainda está acordar para a triste violência com que serão confrontados e já andam eles a espantar a caça... e a assustar as velhinhas que ouvem as notícias. Há só uma razão: eles têm medo do povo...

Daqui a um ano...

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Em Portugal não há tumultos sociais, há "tumulos sociais"...

Que descansem Portas e Passos Coelho. hoje veio mais um aviso: as greves conduzem ao empobrecimento do país... as clássicas lições de moral destes senhores. Passos outro dia dizia que reocnhecia o direito à GREVE E À MANIFESTAÇÃO ( malfora, o que haveria de dizer), mas ai daqueles maviosos que  queiram "queimar o país", quando isto está a correr tão bem... agora foi Portas que avisou: as Greves levam ao empobrecimento País. Mentira: o que leva ao empobrecimento do país é toda esta política de destruição e de terra queimada...
Mas eles que descansem, Portugal é um "Túmulo Social". toda a violência em Portugal se expressa para dentro senão vejamos:
- recordistas de violência doméstica , com dezenas de mulheres mortas por companheiros
- recordistas de consumo de anti depressivos ( um português em cada cinco tomam)
. recordistas de falar muito nbo café e de não agir, dizendo o clássico " Não Vale a pena"

A música dos Deolinda "Movimento Perpétuo "( Agora Sim , Agora não...) é que nos define bem , eternos indecisos, falsos radicais de mão enfiadas nos bolsos... Passos e Portas durmam descansados. Já agora dia 1 de Outubro não é Greve, pois é sábado, é apenas manifestação em Lisboa e Porto...Sem tumultos... naturalmente!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Santana lopes aceita cargo de Provedor da SCML, mas a sobrinha dele chegou primeiro e começou a trabalhar na Santa...

De que seriamos nós sem as nossas famílias? Nada. Por isso e mesmo antes de tomar posse a sobrinha de Santana Lopes já está a trabalhar no Departamento de Jogos da Santa. Chegou agorinha. Chegou para abrir as portas ao tio. Ainda faltam vir os e as santanetes... vai ser cá uma festa! E não façam confusões , o tripalio é a favor do trabalho e contra o desemprego!

os tumultos de passos coelho...