quinta-feira, 31 de maio de 2012

Começou Bilderberg 2012

Bruxelas quer baixar salários, a Troika quer baixar salários... e o Governo quer baixar salários: a conjugação perfeita!

Jornal de NotíciasBruxelas quer baixar salários, a Troika veio dizer quer quer baixar salários,,,e que não chega o Código do Trabalho recém aprovado, o Governo disse à troika que" ainda há margem para baixar salários"..eles são como aqueles animais selvagens que quando abocanham a vítima não largam.... e só largam quando a vítima estiver morta! É assim a essencia da União Europeia, é assim o FMI, é assim a Troika, são assim estes filhos da puta que têm de começar a ter medo de andar na rua!Porque de outra forma não param...

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Toika queria liquidar o BPN, Teixeira dos Santos não deixou e agora quem paga somos nós!


Teixeira dos Santos, o salvador.
Até a troika queria liquidar o BPN, mas por cá as mentes iluminadas, Teixeira dos Santos e PS não deixaram ( e o PSD concordou bem como todos os partidos com exepção do PCP), com medo da corrida à contas bancárias.... E agora já vão 8 mil milhões de euros gastos, num negócio ruinoso para o país que beneficiou os senhores do dinheiro que se caoitavam naquele banco.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Estímulo 2012:quem tem cu, tem medo...

após denuncia a  de propostas de trabalho , para licenciados e mestrados para valores de 500 euros.... o IEFP temeu-se e retirou as propostas de emprego do netemprego... a pergunta fica: será que as "propostas "sairam mesmo, ou foram retiradas de forma estratégica durante um tempo? Estamos atentos!

Christine Lagarde manda pagar impostos aos gregos, mas ela não os paga....

Christine Lagarde causou polémica ao dizer que os gregos deviam pagar os seus impostos, mas a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI) tem um salário de 372.300 mil euros por ano, a que se juntam outros 66.640 mil de despesas de representação, totalmente livres de impostos, diz o jornal inglês "The Guardian".
A diretora do FMI - que numa entrevista publicada sábado disse estar mais preocupada com a África subsaariana do que com a Grécia e insinuou que o problema dos gregos era não pagarem impostos -, recebe ao todo 438.940 mil euros por ano sem ter de pagar qualquer taxa ao Estado.
O diário inglês revela ainda que Lagarde recebe mais do que o Presidente dos EUA, que está obrigado a pagar impostos.
Esta "facilidade" de Christine Lagarde deve-se ao facto do seu posto de trabalho usufruir do estatuto diplomático, baseado no artigo 34 da Convenção de Viena que diz que "um agente diplomático deve ficar isento de  todos os impostos e taxas". A mesma "benesse" têm quase todos os funcionários das Nações Unidas.
O contrato da antiga ministra das Finanças do Governo de Sarkozy tem ainda uma cláusula que obriga a um aumento de salário, todos os anos, a 1 de julho.
Christine Lagarde, 56 anos, venceu a corrida para diretora do FMI depois do escândalo sexual que obrigou Dominique Strauss-Kahn a abandonar o cargo. Na altura, Lagarde era ministra das Finanças do executivo de Sarkozy. Licenciada em direito é a primeira mulher a liderar o FMI



Ler mais: http://expresso.sapo.pt/christine-lagarde-manda-pagar-impostos-mas-nao-paga=f729383#ixzz1wISJYY00


Nota de tripalio: é sempre assim , são uns cães raivosos para os  pobres,porque o sistema os beneficia e paga de forma compensar esse seu papel porco no mundo. Enquanto escraviza o povo grego , português e irlandês esta senhora teve sempre aumento!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Dia negro para os bancos espanhóis | euronews, behind markets- o fmi vem a caminho...

Vendo daqui de Portugal que foi FMIzado há cerca de um ano é fácil perceber o que se irá suceder... agora continuam a dizer que está tudo, os vossos governantes dirão não precisar de um emprestimo e depois e muito rapidamente tudo será feito. Pode surgir a conversa de que não há dinheiro para salários e pensões.... e depois aí vem a troika....Tudo indica que só para a banca espanhola são mais de 60 mil milhões de euros...Muita miséria espera a Espanha, como já por aqui em Portugal se vive com muita miséria...


Dia negro para os bancos espanhóis | euronews, behind markets

domingo, 27 de maio de 2012

Quebeque: estudantes manifestam-se contra lei “anti-manifestações” | euronews, mundo

No Canadá a luta dos estudantes está acesa, há já vários meses, contra o aumento das propinas, por cá censuram se estas notícias, não vá , um dia ( distantes, muito distante) o povo querer copiar o modelo ....

Marcelo Rebelo de Sousa defende todas as austeridades e cortes : saiba porquê.

Com un cachet de 10 mil euros por mês pago pela TVI, eis a explicação simples de como se defende e explicam todos os cortes e mais alguns com aquele arzinho provinciano. Diz Marcelo que o mais certo é os subsídio nunca mais voltarem , que o melhor é Governo dizer " a verdade", coisa impossivel nos tempos que correm , um Governo falar "verdade". A verdade é que a troika já anda a falar em salários muito altos, que levem ao desemprego.... tudo tretas para fazerem mais uns cortes e para tornarem o corte dos subsídios férias e natal definitivo , mas para o professor.. de facto podem cortar lhe o seu vencimento e subsídio de prof universitário à vontade. Os senhores do dinheiro lá estão para compensá lo dessas perdas...com uns milhares de eurinhos mês e assim a vida corre. E do jornal onde escreve caiem mais uns troquinhos e vai, a coisa vai, para o eterno candidato à presidencia da Republica.

E a coisa vai e o povo gosta, gosta de ser chulado por estes artistas de televisão que não dizem mais que banalidades.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

A nacionalização do banco espanhol Bankia vai custar mais que o previsto: onde é que já vimos este filme?

As necessidades de capital do nacionalizado Bankia podem ultrapassar os 19 mil milhões de euros - a somar aos 4.465 milhões já injetados -, valor superior ao que o Governo estimava para todo o sistema financeiro, noticia a imprensa.

Fontes financeiras citadas pela imprensa espanhola referem que o valor global do plano de viabilidade da entidade, nacionalizada este mês, é de 23.500 milhões de euros (incluindo o valor já injetado).
Dados finais do plano de viabilização deverão ser conhecidos hoje, no final da reunião do Conselho de Administração, que começou cerca das 16:30 e que deverá formalizar esses detalhes.
Nota tripalio: por cá o BPN começou com um valor e tem sido sempre, sempre a somar e só para aquele banco já vão 8 mil milhões de euros.... lá como cá o capital funciona da mesma forma!

Tudo farão para que a Grecia não saia do euro...chantagem ,terror, tudo e mais alguma coisa

A possivel saída do euro da grecia é encarada com pânico pelos senhores do dinheiro. De facto , começou agora a campanha de medo sobre os Gregos no sentido de dizerem que ficarão de rastos e nuca se levantarão. Não sucederá nada disso: a miséria é ficarem na zona euro. O medo da saída da Grecia da zona euro é apenas e só o medo de que seja o fim do euro( Paul Krugman diz que com saida da Grecia há 50 por cento de hipoteses de acabar o euro), o medo deste sistema protegido para a Alemanha e França que têm nos paises europeus o local para onde impoem as suas exportações

Hoje foi dia de luta....

Sindicalistas concentrados frente às Finanças depois de tentarem invadir ministério

Os manifestantes desfilaram entre o Cais do Sodré e o Terreiro do Paço para fazer um Plenário junto ao Ministério das Finanças, mas antes disso tentaram entrar nas instalações do Ministério, que foram de imediato encerradas.
Ao som de palavras de ordem como "Não e não ao roubo dos salário e dos subsídios", "Emprego sim e desemprego não", e "o FMI não manda aqui" os sindicalistas marcam o seu protesto contra os cortes nas remunerações e nos direitos dos funcionários públicos.

Carlos Moreno, as Parcerias Publico- Privadas e os "anjinhos"


Carlos Moreno, juiz jubilado do Tribunal de Contas diz que as PPPs não são bicho papão, mas diz que do lado do Privado quem negoceou os contrato eram digamos assim uns sabichões e do lado do Publico, uns totós , e até usou o termo "anjinhos" . Caro Carlos Moreno, não "anjinhos" do lado de quem negoceia pelo lado Publico, existem pessoas que estão ao serrviço desses grandes interesses... e basta ver que as PPPs são todas lesivas para o erário publico. Quem negoceou tem ou terá depois a sua recompensa.é assim que aparecem depois os Jorge Coelhos da nossa política...as parcerias piblico privadas são feitas propositadamente para lesar o estado, para que os senhores do dinheiro tenham as suas rendas asseguradas com o dinheiro de todos nós. se correr mal , como é caso, corta-se mais salários, encerram se mais serviços de saude, escolas , cortam se mais subsídios de desemprego e voilá há sempre dinheiro para estes senhores....espetalhões e muito inteligentes( esperteza saloia, claro). Com que então "amjinhos" ??? diabinhos, talvez seja mais certo

quinta-feira, 24 de maio de 2012

O silêncio dos dominadores está para lavar e durar....

Dia 26 maio tudo se perspectiva que seja uma grande manif do pcp... mas vai uma aposta que não será dito nada na comunicação social? Se forem uns "aNaRcAs" da treta a fazer pinturas da treta na sede dos partidos e armados em lutadores dos tempos das cavernas, aí a comunicação social vai logo dar tempo de antena. mas uma manif com milhares de pessoas não serve para a comunicação social... porque é do PCP...e porque tem mensagem política que magoa os senhores do dinheiro...Mas este partido não vergou no passado, não vai vergar agora!Sábado lá estaremos, na rua , pela mudança de rumo deste país!

8 mil mineiros espanhois em greve

Cerca de oito mil mineiros espanhóis, do setor do carvão, estão desde quarta-feira, em greve. Os mineiros protestam contra os cortes dos subsídios governamentais, alegando que isso vai provocar o colapso do setor.

O orçamento de estado de 2012 prevê um corte nos subsídios do setor de 301 milhões de euros, em 2011, para 111 milhões.
A ação foi organizada pelas duas maiores centrais sindicais, o CCOO e a UGT. A greve de quatro dias, dois esta semana e dois na próxima, afeta as 40 minas de carvão, que ainda estão em funcionamento no país, com maior incidência no norte.
O Ministro da Indústria, Comércio e Turismo espanhol, Jose Manuel Soria, prometeu já encontrar-se com os mineiros para discutir o assunto

O Governo que não faz pressões nem chantagens....

Palavra d'honra

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Dia 26 de Maio- Mainfestação do PCP em Lisboa- 1 ano de troikas....

Um ano de troika e do miserável acordo que nos fizeram comer pela goela abaixo como se de uma coisa boa se tratasse, o país vai pelo cano. Por isso à semelhança do que foi realizado no Porto dia 12 de Maio, o PCP promove uma manif aberta a todos os democratas que queiram combater esta política desastrosa!

E no final de 2012 podemos ter um milhão e quinhentos mil desempregados... perto de 20 por cento de desemprego o oficial.

já aqui haviamos dito que este ano podiamos terminar com cerca de 20 por cento de desempregados oficiais, agora já há dados do economista Eugénio Rosa , num estudo de Maio 2012, do qual passamos a citar:

" Em de Março 2012, o desemprego oficial atingiu 842 495 e desemprego efectivo, que inclui os inactivos disponiveis e desemprego invisivel ( desempregados que não procuram emprego ou que fazem pequenos biscates para sobreviver e por isso não são considerados nos números oficiais de desemprego) atingiu 1 232 195 portugueses ( a taxa efectiva de desemprego já era de 21,6 por cento) . desde dezembro de 2011 tem aumentado a um ritmo de 0,43 pontos percentuais por mês o que determinará se tal ritmo se mantiver, que no fim de 2012 o desemprego oficial atinja os 19,8 e desemprego efectivo 26,8...", o que corresponde a 1 530 000 desempregados, um valor insustentável para o ´país...."

Eugénio Rosa, 17-5-2012, in Avante!


Nota de tripalio: Estes numeros metem medo ao susto, e pior que isto é se o cenário for ainda pior  e o ritmo de crescimento de desemprego acelarar...

terça-feira, 22 de maio de 2012

PCP propõe abaixamento do IVA para restauração

PCP apresenta projecto de lei para IVA na restauração regressar a 13%




O PCP anunciou hoje que vai apresentar um projeto de lei para o IVA na restauração regressar aos 13 por cento, dada a "gravidade da situação" nas empresas do setor, com um "elevadíssimo número de encerramentos" em curso.



"É a tentativa que a maioria perceba a necessidade de encontrar uma resposta que daria uma ajuda, num período de forte redução do poder de compra, a um setor que ocupa milhares de micro e pequenos empresários", afirmou o deputado comunista Agostinho Lopes.



A apresentação deste projeto de lei foi decidida nas jornadas parlamentares do PCP que hoje encerram em Leiria, tendo sido reforçada após o encontro de deputados comunistas com a Associação Comercial e Industrial de Leiria, Batalha e Porto de Mós, referiu.



Segundo Agostinho Lopes, até ao prazo de entrega do IVA, a 15 de maio, "uma grande parte das empresas assumiu este aumento, porque não a estava a pagar, e não a faturou à generalidade aos consumidores, procurando minorar os prejuízos da redução do poder de compra dos portugueses".



"Esta situação é impossível de se manter", argumentou, referindo que há um "elevadíssimo número de encerramentos em curso".



A diminuição do IVA para a restauração dos atuais 23 por cento para os anteriores 13 por cento

5 de junnho: manifestação das associações patronais da construção civil...quando os patrões também se manifestam na rua!

sector da construção e obras públicas diz estar numa situação de "colapso imediato". O alerta surge numa fase em que os dados do Instituto Nacional de Estatística revelam uma quebra de 32% na actividade registada do sector no primeiro trimestre do ano, uma das mais acentuadas dos últimos anos.




O presidente da Confederação Portuguesa do Sector Imobiliário (CPSI) afirma que a queda nas encomendas é superior aos dados do INE. As empresas "limitam-se a gerir o dia-a-dia", diz Reis Campos, que refere dados de Março que revelam 50,4% de queda nos concursos promovidos, 43,8% nas adjudicações e 30% nos fogos licenciados.



"Ou seja", refere Reis Campos, "o sector enfrenta o risco de colapso imediato". "No primeiro trimestre do ano foram eliminados 38.300 postos de trabalho. O sector está em emergência absoluta", reitera.



A situação vai levar todos os representantes do sector à primeira grande manifestação conjunta, no dia 5 de Junho, em Lisboa.



"É uma manifestação de desagrado com a política, que não é uma política com rumo", refere Reis Campos, acrescentando que "está em causa a sobrevivência das empresas e a manutenção de emprego".



"Por isso", conclui o presidente da CPSI, a manifestação vai reunir "todas as associações da fileira da construção". "É o primeiro encontro com esta dimensão."

Nota de tripalio: E os patrões também se manifestam na rua...

domingo, 20 de maio de 2012

Get up, Standup; Bob Marley

Get Up, Stand Up





Get up, stand up: stand up for your rights!Get up, stand up: stand up for your rights!Get up, stand up: stand up for your rights!Get up, stand up: don't give up the fight!



Preacherman, don't tell me,Heaven is under the earth.I know you don't knowWhat life is really worth.It's not all that glitters is gold;'Alf the story has never been told:So now you see the light, eh!Stand up for your rights. Come on!



Get up, stand up: stand up for your rights!Get up, stand up: don't give up the fight!Get up, stand up: stand up for your rights!Get up, stand up: don't give up the fight!



Most people think,Great God will come from the skies,Take away everythingAnd make everybody feel high.But if you know what life is worth,You will look for yours on earth:And now you see the light,You stand up for your rights. Jah!



Get up, stand up! (Jah, Jah!)Stand up for your rights! (Oh-hoo!)Get up, stand up! (Get up, stand up!)Don't give up the fight! (Life is your right!)Get up, stand up! (So we can't give up the fight!)Stand up for your rights! (Lord, Lord!)Get up, stand up! (Keep on struggling on!)Don't give up the fight! (Yeah!)



We sick an' tired of-a your ism-skism game -Dyin' 'n' goin' to heaven in-a Jesus' name, Lord.We know when we understand:Almighty God is a living man.You can fool some people sometimes,But you can't fool all the people all the time.So now we see the light (What you gonna do?),We gonna stand up for our rights! (Yeah, yeah, yeah!)



So you better:Get up, stand up! (In the morning! Git it up!)Stand up for your rights! (Stand up for our rights!)Get up, stand up!Don't give up the fight! (Don't give it up, don't give it up!)Get up, stand up! (Get up, stand up!)Stand up for your rights! (Get up, stand up!)Get up, stand up! ( ... )Don't give up the fight! (Get up, stand up!)Get up, stand up! ( ... )Stand up for your rights!Get up, stand up!Don't give up the fight!

Levante, Resista

Levante, resista: lute pelos seus direitos!Levante, resista: lute pelos seus direitos!Levante, resista: lute pelos seus direitos!Levante, resista: não desista da luta!



Pastor, não me diga,Que o paraíso esta embaixo da terraVocê não sabe quantoA vida realmente valeNem tudo que brilha é ouroSó metade da historia foi contadaE então agora que você enxergou a luz, eh!Lute pelos seus direitos. Vamos lá!



Levante, resista: lute pelos seus direitos!Levante, resista: não desista da luta!Levante, resista: lute pelos seus direitos!Levante, resista: não desista da luta!



A maioria das pessoas pensaQue o grande deus vai surgir dos céusLevar tudoE fazer todo mundo se sentir elevadoMas se você sabe o quanto vale a vidaVai procurar o seu aqui na terraE agora que você enxerga a luzLute pelos seus direitos



Levante, resista! (Jah, Jah!)Lute pelos seus direitos! (Ph-hoo!)Levante, Resista! (Levante, Resista!)Não desista da luta!Levante, Resista! (Então, nos nao podemos desistir da luta!)Lute pelos seus direitos! (Senhor, Senhor)Levante, Resista!Não desista da luta! (Yeah!)



Estamos cheios e cansados do seu jogo de ismos -Morrer e ir pro céu em nome de jesus, senhor.Nós sabemos e entendemos:O deus poderoso é um homem vivo.Vocês podem enganar algumas pessoas algumas vezes,Mas não podem enganar a todos o tempo todo.Então agora que você enxerga a luz (O que você vai fazer?),Vamos lutar por nossos direitos! (Yeah, yeah, yeah!)



Então é melhor:Levante, Resista! (Pela manhã! Git it up!)Lute pelos seus direitos!(Lute pelos seus direitos!)Levante, Resista!Não desista da luta! (Não desista, não desista!)Levante, Resista! (Levante, Resista!)Lute pelos seus direitos! (Levante, Resista!)Levante, Resista! (...)Não desista da luta! (Levante, Resista!)Levante, Resista! (...)Lute pelos seus direitos!Levante, Resista!Não desista da luta

Lista dos Participantes Bilderberg 2012 é conhecida parcialmente...

O Grupo Bilderberg desta vez forneceu uma lista oficial de participantes. Como aconteceu antes, esta lista pode muito bem estar incompleta, mas somente pelo fato de divulgarem esta lista mostra como estão preocupados que a opinião pública se mostra conciente que estão se encontrando em secreto. Veja a lista logo abaixo. Por falta de tempo não pude traduzir todos os cargos, irei completar quando tiver mais tempo.Fontes:


Bilderberg Meeting – Site Oficial



FONTE



Lista Final de Participantes

Honorary Presidente



BEL Davignon, Etienne Vice Presidente, Suez-Tractebel



DEU Ackermann, Josef Presidente do Management Board e the Group Executive Committee, Deutsche Bank AG

GBR Agius, Marcus Presidente, Barclays Bank PLC

ESP Alierta, César Presidente e CEO, Telefónica

INT Almunia, Joaquín Commissioner, European Commission

USA Altman, Roger C. Presidente, Evercore Partners Inc.

USA Arrison, Sonia Author e policy analyst

SWE Bäckström, Urban Director General, Confederation of Swedish Enterprise

PRT Balsemão, Francisco Pinto Presidente e CEO, IMPRESA, S.G.P.S.; Ex- Primeiro Ministro

ITA Bernabè, Franco CEO, Telecom Italia S.p.A.

SWE Bildt, Carl Minister of Foreign Affairs

FIN Blåfield, Antti Senior Editorial Writer, Helsingin Sanomat

ESP Botín, Ana P. Executive Presidente, Banesto

NOR Bretzæg, Svein Richard CEO, Norsk Hydro ASA

AUT Bronner, Oscar Publisher e Editor, Der Steard

TUR Çakir, Ru?en Journalist

CAN Campbell, Gordon Premier of British Columbia

ESP Carvajal Urquijo, Jaime Managing Director, Advent International

FRA Castries, Henri de Presidente do Management Board e CEO, AXA

ESP Cebrián, Juan Luis CEO, PRISA

ESP Cisneros, Gustavo A. Presidente e CEO, Cisneros Group of Companies

CAN Clark, W. Edmund Presidente e CEO, TD Bank Financial Group

USA Collins, Timothy C. Senior Managing Director e CEO, Ripplewood Holdings, LLC

ITA Conti, Fulvio CEO e General Manager, Enel SpA

GRC David, George A. Presidente, Coca-Cola H.B.C. S.A.

DNK Eldrup, eers CEO, DONG Energy

ITA Elkann, John Presidente, Fiat S.p.A.

DEU Enders, Thomas CEO, Airbus SAS

ESP Entrecanales, José M. Presidente, Acciona

DNK Federspiel, Ulrik Vice Presidente Global Affairs, Haldor Topsøe A/S

USA Feldstein, Martin S. George F. Baker Professor of Economics, Harvard University

USA Ferguson, Niall Laurence A. Tisch Professor of History, Harvard University

AUT Fischer, Heinz Federal Presidente

IRL Gallagher, Paul Attorney General

USA Gates, William H. (Bill Gates) Co-chair, Bill & Melinda Gates Foundation e Presidente, Microsoft Corporation

USA Gordon, Philip H. Assistant Secretary of State for European e Eurasian Affairs

USA Graham, Donald E. Presidente e CEO, The Washington Post Company

INT Gucht, Karel de Commissioner, European Commission

TUR Gürel, Z. Damla Special Adviser to the Presidente on EU Affairs

NLD Halberstadt, Victor Professor of Economics, Leiden University; Ex- Honorary Secretary General of Bilderberg Meetings

USA Holbrooke, Richard C. Special Representative for Afghanistan e Pakistan

NLD Hommen, Jan H.M. Presidente, ING Group

USA Hormats, Robert D. Under Secretary for Economic, Energy e Agricultural Affairs

BEL Huyghebaert, Jan Presidente do Board of Directors, KBC Group

USA Johnson, James A. Vice Presidente, Perseus, LLC

FIN Katainen, Jyrki Minister of Finance

USA Keane, John M. Senior Partner, SCP Partners

GBR Kerr, John Member, House of Lords; Deputy Presidente, Royal Dutch Shell plc.

USA Kissinger, Henry A. Presidente, Kissinger Associates, Inc.

USA Kleinfeld, Klaus Presidente e CEO, Alcoa

TUR Koç, Mustafa V. Presidente, Koç Holding A.?.

USA Kravis, Henry R. Founding Partner, Kohlberg Kravis Roberts & Co.

USA Kravis, Marie-Josée Senior Fellow, Hudson Institute, Inc.

INT Kroes, Neelie Commissioner, European Commission

USA Leer, Eric S. Presidente e Director, Broad Institute of Harvard e MIT

FRA Lauvergeon, Anne Presidente do Executive Board, AREVA

ESP León Gross, Bernardino Secretary General, Office do Primeiro Ministro

DEU Löscher, Peter Presidente do Board of Management, Siemens AG

NOR Magnus, Birger Presidente, Storebre ASA

CAN Mansbridge, Peter Chief Correspondent, Canadian Broadcasting Corporation

USA Mathews, Jessica T. Presidente, Carnegie Endowment for International Peace

CAN McKenna, Frank Deputy Chair, TD Bank Financial Group

GBR Micklethwait, John Editor-in-Chief, The Economist

FRA Montbrial, Thierry de Presidente, French Institute for International Relations

ITA Monti, Mario Presidente, Universita Commerciale Luigi Bocconi

INT Moyo, Dambisa F. Economist e Author

USA Mundie, Craig J. Chief Research e Strategy Officer, Microsoft Corporation

NOR Myklebust, Egil Ex- Presidente do Board of Directors SAS, Norsk Hydro ASA

USA Naím, Moisés Editor-in-Chief, Foreign Policy

NLD Rainha da Holanda

ESP Nin Génova, Juan María Presidente e CEO, La Caixa

DNK Nyrup Rasmussen, Poul Ex- Primeiro Ministro

GBR Oldham, John National Clinical Lead for Quality e Productivity

FIN Ollila, Jorma Presidente, Royal Dutch Shell plc

USA Orszag, Peter R. Director, Office of Management e Budget

TUR Özilhan, Tuncay Presidente, Anadolu Group

ITA Padoa-Schioppa, Tommaso Ex- Minister of Finance; Presidente of Notre Europe

GRC Papaconstantinou, George Minister of Finance

USA Parker, Sean Managing Partner, Founders Fund

USA Pearl, Frank H. Presidente e CEO, Perseus, LLC

USA Perle, Richard N. Resident Fellow, American Enterprise Institute for Public Policy Research

ESP Polanco, Ignacio Presidente, Grupo PRISA

CAN Prichard, J. Robert S. Presidente e CEO, Metrolinx

FRA Ramanantsoa, Bernard Dean, HEC Paris Group

PRT Rangel, Paulo Member, European Parliament

CAN Reisman, Heather M. Chair e CEO, Indigo Books & Music Inc.

SWE Renström, Lars Presidente e CEO, Alfa Laval

NLD Rinnooy Kan, Alexeer H.G. Presidente, Social e Economic Council do Netherles (SER)

ITA Rocca, Gianfelice Presidente, Techint

ESP Rodriguez Inciarte, Matías Executive Vice Presidente, Grupo Santeer

USA Rose, Charlie Producer, Rose Communications

USA Rubin, Robert E. Co-Presidente, Council on Foreign Relations; Ex- Secretary do Treasury

TUR Sabanci Dinçer, Suzan Presidente, Akbank

ITA Scaroni, Paolo CEO, Eni S.p.A.

USA Schmidt, Eric CEO e Presidente do Conselho, Google

AUT Scholten, Rudolf Member do Board of Executive Directors, Oesterreichische Kontrollbank AG

DEU Scholz, Olaf Vice Presidente, SPD

INT Sheeran, Josette Executive Director, United Nations World Food Programme

INT Solana Madariaga, Javier Ex- Secretary General, Council do European Union

ESP Rainha da Espanha

USA Steinberg, James B. Deputy Secretary of State

INT Stigson, Björn Presidente, World Business Council for Sustainable DeveloPrimeiro Ministroent

USA Summers, Lawrence H. Director, National Economic Council

IRL Sutherle, Peter D. Presidente, Goldman Sachs International

GBR Taylor, J. Martin Presidente, Syngenta International AG

PRT Teixeira dos Santos, Ferneo Minister of State e Finance

USA Thiel, Peter A. Presidente, Clarium Capital Management, LLC

GRC Tsoukalis, Loukas Presidente, ELIAMEP

INT Tumpel-Gugerell, Gertrude Member do Executive Board, European Central Bank

USA Varney, Christine A. Assistant Attorney General for Antitrust

CHE Vasella, Daniel L. Presidente, Novartis AG

USA Volcker, Paul A. Presidente, Economic Recovery Advisory Board

CHE Voser, Peter CEO, Royal Dutch Shell plc

FIN Wahlroos, Björn Presidente, Sampo plc

CHE Waldvogel, Francis A. Presidente, Novartis Venture Fund

SWE Wallenberg, Jacob Presidente, Investor AB

NLD Wellink, Nout Presidente, De Nederlesche Bank

USA West, F.J. Bing Autor

GBR Williams, Shirley Member, House of Lords

USA Wolfensohn, James D. Presidente, Wolfensohn & Company, LLC

ESP Zapatero, José Luis Rodríguez Primeiro Ministro da Espanha

DEU Zetsche, Dieter Presidente, Daimler AG

INT Zoellick, Robert B. Presidente, Banco Mundial



Rapporteurs



GBR Bredow, Vendeline von Business Correspondent, The Economist

GBR Wooldridge, Adrian D. Business Correspondent, The Economist


Nota: Paulo Rangel e Pinto Balsemão são para já os tugabilderbergers...

de olhos vidrados na selecção, seremos roubados de forma mais doce...

Começou , ou ainda não é lá mais para Junho que nos vão tentar estupificar com a campanha do Europeu da Selecção de Futebol. Caros amigos, também vejo futebol, de todo o tipo desde os distritais, até jogos da liga de honra, e naturalmente o que passa na tv e claro vejo com agrado a selecção. Mas isso é uma coisa, vermos , gostarmos que a nossa bandeia ganhe, outra é o início de uma paralisia colectiva que nos vão tentar impingir através de um massacre televisivo acerca da Selecção. E que já começou.... e ao qual eu mesmo não sou imune´, ninguém é imune. O que nos vão dizer nestes tempos próximos, é tenham uma amnésia colectiva, distraiam se, que enquanto estão distraidos Passos Coelho, Paulo Portas ( nacionalista que concordou com o fim do 1º de Dezembro, como feriado) , Seguro , na sua maneira de concordar com as medidas do governo,  vão roubando o povo aprovando as putas das leis que nos levam à miséria....

sábado, 19 de maio de 2012

manifestação 22 junho: Função Publica e Aposentados e Reformados vão passar frente ao tribunal Constitucional

A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSFP) convocou hoje todos os trabalhadores do Estado e aposentados a participarem numa «grande manifestação nacional» a 22 junho, que passará em frente ao Tribunal Constitucional.

«Este órgão tem responsabilidades muito grandes neste momento em que vivemos ilegalidades e inconstitucionalidades constantes no que diz respeito aos direitos laborais e fica impávido e sereno lavando as mãos como Pilates ou a favor da Administração», disse hoje à agência Lusa a coordenadora da federação, Ana Avoila.

A manifestação contra o congelamento de salários, subsídios, carreiras e redução de remunerações será aprovada no congresso da FNSFP, que decorrerá dias 30 e 31 de Maio em Lisboa.

«O congresso pretende chamar a atenção para os problemas laborais na Administração Pública e para as funções sociais do Estado que neste momento estão postas em causa, nomeadamente nas áreas da Saúde, Educação e Segurança Social», disse a sindicalista.

No último dia, o congresso sairá também à rua, num desfile até ao Ministério das Finanças.

«Estas ações de luta têm como objetivo lutar contra a desestruturação da Administração Pública», referiu Ana Avoila.

O congresso da FNSFP integrará uma sessão internacional, com representantes sindicais da Grécia, País Basco e Argentina, entre outros.

«Vai ser importante perceber, com a experiência de outros países do mundo, qual está a ser a direção do setor público a nível global», destacou Ana Avoila.

Nota tripalio: Em abril parecia que havia uma maioria de juizes contra o corte dos subsídios... mas por isso PSD e CDS quiseram mudar sua constituição, metendo um senhor do CDS e mais outros novos artistas. E de facto aquando do corte salarial, os juizes votaram 9 a favor do corte salarial e 3 contra o corte... o que é uma grande desproporção. Veremos como decidem agora, com novos capangas políticos de Ps , PSd e Cds....Por isso esta manif é certeira. Parabéns pela sua decisão!

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Amanhã teremos fome

deixo texto de joão vieira, publicada no ultimo Militante e que vale a pena ler;

Amanhã nós teremos fome

Não se trata de fazer deste título uma provocação, mas apenas despertar a atenção para a outra crise gerada pelo capitalismo, a crise alimentar – uma variante da crise geral económico-financeira. Não pretendo com isto dizer que as prateleiras estarão vazias nos próximos seis meses, mas caminhamos nesse sentido, a fome já está no nosso país não ainda por falta de comida mas por falta de dinheiro para a comprar. Mesmo com o mito dos preços baixos, a comida será cada vez mais objecto de especulação e de difícil acesso para a maior parte das pessoas. A fome amanhã tem a ver com a natureza predadora do capitalismo e com o rumo que está a imprimir à agro-produção, em que os Estados se demitem da sua função reguladora e deixam nas mãos invisíveis do «mercado» esta necessidade básica que é a alimentação.

O que aconteceu com a nossa agricultura nestes últimos 20 anos pós-adesão à CEE é exemplo disso, com os sucessivos governos de direita e pseudo-esquerda a entregarem o futuro alimentar dos portugueses nas mãos de especuladores internacionais, isto quando tínhamos uma agricultura que reunia as duas condições essenciais – a agronomia e a ecologia – tão necessárias para enfrentar os problemas alimentares do século XXI.

O mais velho problema da humanidade não está resolvido

A nossa agricultura é vítima do eixo franco-alemão pelo menos há 20 anos, pela mão dos sucessivos governos vassalos – PS/PSD/CDS-PP –, e continua agora na reforma da PAC pós-2013. A este propósito, veja-se o seguinte texto franco-alemão: «A política futura deve ser adaptada ao novo contexto mundial no qual estão incluídos novos concorrentes, a volatilidade dos preços ligados à mundialização. Os agricultores devem fornecer produtos a preços baixos, proteger o meio ambiente e o bem-estar animal». (Missão impossível para a nossa agricultura). Os países terceiros não querem saber destes conceitos para nada, o que querem é pôr cá os seus produtos para nos agredirem economicamente. Com a agricultura portuguesa mergulhada num caos mundial, o mais velho problema que é a comida vai ser o maior desafio do século XXI – 7 a 9 mil milhões de bocas na tal mundialização, nas quais nos incluímos, num contexto de raridade das superfícies agrícolas disponíveis.
As alterações climáticas, com forte influência nas colheitas, a diminuição dramática dos aquíferos, os rios que já não chegam ao mar, o encarecimento do petróleo e do gás – de que o modelo de agro-produção capitalista é grande consumidor –, revelam que este modelo está esgotado porque é energívoro e já atingiu o máximo da sua capacidade produtiva, abandonou as bases da sustentabilidade – a agronomia e a ecologia – para dar lugar a um único objectivo «o lucro», baseado nas teorias de David Ricardo (economista especulador anglo-saxónico – 1772-1823), pai da teoria das vantagens comparativas hoje aplicadas à agricultura.
Dois séculos depois da sua morte, as suas ideias são a Bíblia do seu conterrâneo Peter Mandelson, comissário do Comércio Externo da UE, e também do sinistro Pascal Lamy, director-geral da OMC, para além de alguns discípulos da nossa praça para quem é mais barato importar do que produzir. Esta teoria posta em prática 200 anos depois está a conduzir ao desastre actual e futuro. Amanhã vai ser preciso produzir mais e de outra forma: com menos adubos pois as reservas de fosfatos estão em fase terminal, menos combustíveis porque estes vão atingir preços incomportáveis, e menos água porque está a escassear. Vamos ter de revisitar práticas agrícolas que foram abandonadas, pois a agricultura dita de precisão do sistema capitalista, pilotada pela mão invisível do «mercado», guiada exclusivamente pela lógica do lucro vai ter de dar lugar a uma agricultura decidida em cada país, num quadro de soberania alimentar em que todas as terras agrícolas deverão ser utilizadas em função do seu potencial agronómico. E as teorias de David Ricardo e seus discípulos irão para a lixeira da História.

O escândalo da reconquista colonial das terras agrícolas

Terra e água, elementos centrais no presente e no futuro próximo, a globalização pôs em marcha novas formas de colonialismo – só em 2009, 45 milhões de ha de terra arável foram transaccionados sob a forma de compra ou concessão. Firmas capitalistas, fundos soberanos, especuladores de todo o género deitam mão, onde quer que seja, a toda a terra e de preferência com água.
No pelotão da frente estão cinco países, as monarquias dos petrodólares e também a China, quer se trate de agro-combustíveis, de cereais e proteaginosas, de florestas.
O processo de recolonização em curso acelerou-se particularmente depois do primeiro susto de crise alimentar de 2008. Veja-se o exemplo do capitalista francês Charles Beigbeder, que detinha uma empresa de electricidade subsidiária da EDF (a «EDP francesa») e vendeu as suas acções para se dedicar ao sector agrário, criando a «Agro Generation», empresa que mobiliza fundos para investir em terras de cereais na fabulosa terra da Ucrânia. Esta empresa conta já com 45 300 ha de terras que o Estado ucraniano entregou em parcelas de 5 ha após a queda da URSS.
Na lógica do regresso ao capitalismo e consequente desmantelamento dos kolkozes, os novos proprietários, agora sem a organização colectiva, não tinham condições de trabalhar a terra, outros entraram mesmo na reforma, e foi por aí que entrou o capitalista francês, que chegou viu e venceu, distribuindo presentes e dinheiro fresco num país em que a corrupção tem força de lei. Até 2013, este empresário espera reunir 100 000 ha, a tal dimensão adequada para competir entre os grandes da mundialização. Sendo as terras negras da Ucrânia férteis na produção de cereais, batata, beterraba e girassol, que mais é preciso para este capitalista realizar o seu sonho?
É ele, e outros como ele, que querem fazer concorrência aos produtores da UE. E como não vão parar de percorrer este rendoso caminho, o sonho estende-se já a África e América Latina, onde a produção se faz 365 dias por ano, uma dádiva da natureza que o capitalismo não iria desperdiçar nesta fase de acerto de contas com a História.

As preferidas zonas tropicais e sub-tropicais

Muita terra, água, escravos e uma autoestrada para o capitalismo. Foi para isto que prepararam há muito a inclusão da agricultura na OMC, assinaram os tratados de livre comércio e fizeram saltar as protecções aduaneiras.
Entre os países alvo desta corrida à aquisição de terra fértil e de florestas figuram os Camarões, Etiópia, República Democrática do Congo, Gana, Madagáscar, Mali, Somália, Sudão, Tanzânia, Brasil, Cambodja, Indonésia, Kazaquistão, Rússia, Paquistão, Filipinas e Roménia, sendo os principais compradores o Japão, China, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Qatar, Koweit, Emirados Árabes e especuladores privados europeus.
Antes das trágicas inundações de 2010, o Paquistão já tinha alienado mais de 10% das suas terras aráveis a especuladores estrangeiros. A invasão do Iraque, para além do saque do petróleo, visou a ocupação das suas terras férteis.

As falsas preocupações do Banco Mundial

Após ter encorajado todo este processo, o Banco Mundial finge agora preocupar-se com as consequências sociais (que serão muitas). Em 2010, também a ministra francesa, Natalie Morizet, encarregou o centro de análises estratégicas de elaborar um relatório sobre a amplitude do fenómeno e suas consequências políticas e sociais a médio e longo prazo. A UE, por sua vez, encoraja o processo de recolonização de terras, todavia recomenda algum cuidado para que tudo se faça de forma discreta sempre associando o poder político de cada país.
Neste relatório é interessante o termo utilizado: «A França e a União Europeia» devem exigir uma obrigação de transparência aos investidores de origem europeia implicados em investimento de grande envergadura, a saber: modo de exploração, tipo de culturas, região de implantação.
Alguns meses depois da sua publicação, soube-se que o Canadá também está na corrida. A ENERGEM BIOFUELS LIMITED, filial da ENERGEM RESSOURCES, ocupou 60 000 ha em Moçambique para culturas destinadas ao agro-combustível em terras que antes produziam alimentos para o povo moçambicano.
O povo moçambicano para conservar o direito ao uso dessas terras podia e devia ter obtido do Estado um contrato de concessão por 50 anos renovável, mas 98% dos camponeses não o fizeram. Não se sabe porquê, mas posso supor que não há resistência organizada em todos os países visados. O que se sabe ao certo é que a multinacional canadiana se apropriou das terras através de processos considerados pouco transparentes.
Os agro-combustíveis não são uma alternativa ao petróleo, até porque antes de o serem consomem muita água e muito petróleo. São somente mais um negócio do capital que condena os povos à fome, sendo de sublinhar a política criminosa da UE que impõe, a partir de 2020, a incorporação de pelo menos 10% de agro-combustível nos motores. E é neste ponto que eu penso que surgirá a mãe de todas as crises, que é energética, económica, social, ecológica e alimentar, daí o título deste artigo. Nos centros de decisão capitalista estão focos de incompetência e de hipocrisia, estão aí colocados indivíduos desprovidos de todo o sentimento de humanidade e desconhecendo o mundo real. E pior, não querem nem saber pois têm a fé inabalável de que o sistema capitalista está de pedra e cal. Um deles, Pascal Lamy, director-geral da OMC (antes comissário do comércio externo da UE), é o protótipo do tecnocrata cínico que ocupa o poder deixado vago pelos dirigentes políticos que se retiraram para deixar o «mercado» à vontade. É um homem perigoso para a agricultura e soberania alimentar dos povos, não conhece nem quer conhecer nada de agricultura mas decide do seu futuro, só lhe interessando a liberalização do comércio mundial. Quem é esta personagem? Um típico produto do sistema, que em França frequentou os gabinetes ministeriais «socialistas» e o sector privado e foi sucessivamente director de gabinete de Jacques Delors na Comissão Europeia, quadro da CNPF (a CIP lá do sítio), Comissário Europeu, tornando-se o executante-mor das políticas agrícolas que minam a soberania alimentar dos povos.

As rotas da soja

No cenário de mundialização, a China é apresentada como a fábrica do mundo e o Brasil como a quinta do mundo.
A China tem necessidades alimentares gigantescas e por isso estabeleceu com o Brasil parcerias na área da produção da soja (de que a China é grande consumidora), em que a China fornece maquinaria pesada para a sua cultura e participa na construção do caminho de ferro para a sua evacuação em direcção aos portos. Duas rotas, uma para Manaus em direcção à Europa (Amesterdão), a outra em direcção ao porto de Arica, entre a Bolívia e o Chile (no Pacífico), rumo ao Extremo-Oriente – todo um vasto programa. Já vimos que a China está perfeitamente à vontade nos tratados de livre comércio e na compra de terras. No entanto, tem internamente um programa de auto-abastecimento à volta das cidades através do sistema de círculos concêntricos segundo o tipo de culturas e um sistema de armazenamento que garante o aprovisionamento a longo termo. Isto mostra que a questão da agricultura é mesmo para levar a sério.
Quanto ao Brasil, a quinta do mundo, o melhor é mesmo não confiar nisso porque, em última análise, o Brasil pode dizer que o que tem é preciso para os brasileiros. Não é credível que o Brasil, por maior que seja, possa aguentar indefinidamente uma agro-produção intensiva para exportação, porque antes terá destruído os solos. É o que se passou nos Estados-Unidos, onde uma cultura super-intensiva destruiu já grande parte dos seus solos. No dizer de responsáveis «índios» com quem tive ocasião de falar, os solos estão destruídos para «sete gerações». O certo mesmo é que o aquífero de Ogallala, nos EUA, que se estende sobre 450 000 km2, está a secar; 97% desta água é utilizada para produção de 27% das terras irrigadas daquele país. Não obstante este desastre anunciado, Bush pôs em marcha um programa ambicioso de produção de etanol a partir da produção de milho, por isso o milho vai encarecer, prejudicando os agricultores portugueses que já estão a pagar as rações mais caras, isto quando o leite e a carne estão a baixar na produção.
Em 2010 foram produzidos 45 mil milhões de litros de etanol contra 27 mil milhões em 2007. Lula da Silva, no Brasil, pôs em marcha um programa semelhante a partir da produção de cana, mas a cana de açúcar produzida intensivamente destrói os solos em poucos anos. É irónico que Lula da Silva, eleito com base num programa eleitoral de «Fome Zero», tenha dado um enorme contributo para a fome de amanhã.
Os dois maiores países agrícolas do mundo em latitudes diferentes mas com programas iguais, e tanta gente a assobiar para o ar!

A chamada de atenção de Fidel

Na primavera de 2007, Fidel Castro, no seu quarto de convalescença em Havana, quando assistia pela televisão ao encontro entre o Presidente americano e o Presidente brasileiro e em que estes promoviam os agro-combustíveis nos seus países, Fidel, atento ao ultraliberalismo, encontrou energia para emitir uma opinião crítica e um alerta, sendo a única voz do mundo a declarar: «Apliquem essa receita nos países do Terceiro Mundo e verão quantas pessoas entre as massas esfomeadas do nosso Planeta deixarão de comer, dezenas de países que não produzem hidrocarbonetos e também não podem cultivar milho e outros grãos, nem grãos de oleaginosas, porque não terão água bastante para satisfazer as suas necessidades mais elementares.»

Apagão a caminho com rendas mais baixas pagas pelo estado às Electricas...

Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, anunciou esta semana ao país que serão poupados anualmente 170 a 190 milhões de euros devido aos cortes que o governo impôs nas rendas pagas aos produtores de eletricidade.
Contas feitas pelo ministro, até 2020 serão poupados 1800 milhões.Os produtores de eletricidade ouviram e não gostaram. Um deles, a espanhola Endesa, que recebia 16 milhões pela garantia de potência disponibilizada pela central de ciclo combinado (a gás natural) do Pego, em Abrantes, garante que a vai fechar.
Mas não é tudo, o presidente da empresa, Nuno Ribeiro da Silva, garante que vai suspender o investimento de 500 milhões na barragem de Girabolhos, em Seia. Porquê? Por "má fé e incumprimento das negociações" por parte do Governo durante as negociações.
A principal prejudicada, a EDP, já disse que "não considera adequada" a decisão do governo em eliminar a garantia de potência, que rendiam 45 milhões por ano à elétrica portuguesa.
O Expresso sabe que a empresa não exclui a hipótese de algumas das suas centrais térmicas poderem vir a fechar, tal como já anunciou a Endesa.
Se isso acontecer será, segundo vários analistas do setor elétrico, "um verdadeiro caos". Referem que só a central do Pego, que a Endesa vai fechar, representa 10% a 15% da potência firme de que o país dispõe. Sem esta garantia, concluem, "os apagões serão inevitáveis".


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/apagao-a-vista-endesa-fecha-central-e-edp-pondera-o-assunto=f726949#ixzz1vGN6MtCs


Nota tripalio: os apagões acontecerão, o que será uma forma coerciva de pouparmos electricidade, e para nos irmos habituando ao estado de sítio que estamos vivendo, mas uma coisa é certa o corte destas "rendas" até foi baixinho....e o dinheiro já está a rugir

quinta-feira, 17 de maio de 2012

STE faz acordo com Governo: o Tripalio dedica lhe uma musica...

De facto é extraordinário, depois de cortarem subsídios a partir dos 600 euros , reduzirem salários no anterior Governo ( a muitos dos que diz representar), de porem o s tfps a pão e água Betencourt Picanço aceita que o trabalhador possa ser deslocado ( de graça) até 60 quilómetros... isto porque é melhor que ir para a mobilidade, diz ele. Ele aceita essa mobilidade porque o seu rabo gordo está imóvel sempre sentado nas cadeiras do poder....

quarta-feira, 16 de maio de 2012

E a Grécia está aqui tão perto....

Mira Amaral: " Se o ajustamento não fosse tão rápido, talvez o desemprego não fosse tão grande", ou as lágrimas de crocodilo do capital

Mira Amaral, antigo ministro de Cavaco, diz que escalada do desemprego é "fenómeno preocupante".
Mira Amaral, antigo ministro da Indústria de Cavaco Silva e actual presidente do BIC Portugal, acredita que se o programa de ajustamento que está a ser executado no âmbito da ajuda internacional fosse mais prolongado no tempo, o desemprego no país não seria tão elevado.
"Há uma questão que se podia colocar quando o programa foi acordado. Podia-se pensar que o ajustamento podia ser mais lento em termos de ajustamento das finanças públicas. Se o ajustamento não fosse tão rápido, talvez o desemprego não fosse tão grande", considerou Mira Amaral em declarações no Grande Jornal, do Etv, num comentário aos números do desemprego revelados hoje pelo INE.
Segundo os dados oficiais daquele instituto, a taxa de desemprego em Portugal subiu para 14,9% no primeiro trimestre de 2012, um novo máximo histórico, traduzindo um aumento de 2,5 pontos percentuais face ao trimestre homólogo.
Para o antigo ministro, a escalada do desemprego do país "é um fenómeno preocupante".
"O desemprego tinha de sofrer estas consequências. As empresas estão exaustas com os aumentos dos custos de electricidade, do IVA e do aperto do financiamento. A restauração sofreu aumentos brutais de IVA", referiu Mira Amaral.


Nota de tripalio: este senhor que recebe uma refoma da CGD pelo ano que lá trabalhou, no valor de milhares de euros também é muito culpado do ajustamento ser rápido. Porque este senhor repesentante do Banco BIC em Portugal, recebeu só este ano para o seu banco BIC, 600 milhões de euros pela "compra" ( que foi oferta com brinde) do BPN , mais uma linha de credito de spread zero, de 300 milhões de euros para o seu banco poder aceder....
este senhor é um dos culpados e tem tempo de antena para se fazer de vedeta!

Os tumultos regressam, o Pingo doce vai fazer promoções este fim de semana!

O regresso do fim do mundo

terça-feira, 15 de maio de 2012

Trabalhar mais para empobrecer mais....

ainda recebemos mensagens neste blog de pessoas , naturalmente pessoas honestas, que se indignam por apelarmos à revolta, à manfestação daqueles que se sentem lesados.... dizem essas pessoas que é preciso trabalhar mais para levantar o país.
é uma opinião respeitável mas infantil, pois todo o trabalho que fazemos é para pagar impostos , que por sua vez sua vez servirão para pagar juros da dívida pública....Passos Coelho disse no encontro dos TSD que  que vamos pagar em juros do empréstimo, é mais do que se gasta em saúde , é mais que o que se gasta em educação.... enfim ele foi bem honesto.

Podem as pessoas honestas trabalhar, muito, esfalfar-se que de seguida Vitor Gaspar e seus muchachos de Chicago encarregam se de levar o país ao fundo e o objectivo é de facto mesmo esse. Os comentadores do dinheiro aplaudem a política de recessão e desemprego e dizem que "o ajustamento da economia está a feito mais rápido que o previsto" , ou seja estamos a ficar miseraveis mais rápido que o previsto...
O plano deste Governo ( e do de Sócrates também era) passa por baixar de forma abrupta os custos do trabalho, reduzir gastos sociais de todo o tipo e transfomar Portugal num paraiso liberal, onde os chineses ou outros possam vir ganhar milhões sem nada fazerem...
 por isso relembro que temos só um ano de plano de troika, ainda não levámos , pensionista e tfps e outros, com os cortes no subsídios.... que terão um impacto na economia tremendo ( as pessoas não gastam, as empresas não recebem dinheiro...). Por isso trabalhem mais à vontade, força trabalhem muito, para dar 9 mil milhões ao BPN , e mais 11 mil milhões às parcerrias publico privadas... Vá força , tudo aí a puxar e atrabalhar , muito, muito , uf,uf, uf....

Segurança Social vai comprar lixo tóxico, em forma de dívida pública....

A central reagiu à publicação da Portaria 118/2012, de 30 de Abril, que visa permitir ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS) a compra de títulos de dívida privada à banca nacional, independentemente da nacionalidade do emitente e do respectivo rating. Fica assim suspenso o tecto de 40 por cento, estabelecido no Regulamento do FEFFS (Portaria 1273/2004), para a aquisição de dívida privada e pública.
A central analisou os mapas mensais, verificando que o valor das aplicações em títulos de dívida (ex-DPP) entre 31 de Dezembro e 31 de Março aumentou 682 milhões de euros. Não possuindo dados desagregados para confirmar se este aumento inclui dívida comprada à banca portuguesa, a CGTP-IN encarregou o seu representante no Conselho Consultivo do FEFSS de exigir na próxima reunião, dia 7, «a informação cabal, relativamente a este verdadeiro atentado contra a Segurança Social e o seu Fundo de Estabilização Financeira».
Mas, desde já, previne que «o capital e o Governo ao seu serviço denotam a sua opção e não olharão a meios para atingir os seus fins», pelo que é urgente «juntar forças e vontades, para o combate firme e determinado a estas políticas de verdadeiro desastre nacional».
Desta alteração, explica a CGTP-IN, na nota de imprensa que emitiu dia 30, «decorrem consequências graves para a estabilidade do Fundo e respectiva finalidade», já que o FEFSS pode adquirir, sem limites nem constrangimentos, títulos de dívida privada nacionais e estrangeiros e de dívida pública não portuguesa, detidos pela banca, designadamente os que são denominados de «lixo tóxico», «a preços fixados eventualmente ao livre arbítrio das partes ou à sua inteira conveniência – para aqueles títulos que não sejam objecto de transacção em mercados regulamentados». «Ou seja, a banca pode desde já sanear as suas carteiras dos títulos de dívida, transferindo os prejuízos para a Segurança Social», conclui a central.
A CGTP-IN afirma ainda que «esta operação tem vindo a ser planeada sorrateiramente, desde meados do ano passado, e posta em prática a partir de, pelo menos, 1 de Janeiro de 2012, conforme resulta da data da entrada em vigor da portaria, data a partir da qual também foi instituído o denominado “benchmark da tutela”, efectuado à revelia da regulamentação em vigor e sem o pronunciamento obrigatório do Conselho Consultivo» do fundo.
Sustentabilidade
Em defesa da Segurança Social e das funções sociais do Estado, a CGTP-IN decidiu realizar uma série de iniciativas.
No dia 8, quarta-feira, Dia Nacional da Segurança Social, será feita a distribuição de um manifesto, com acções nas regiões. No dia 17, terá lugar uma iniciativa pública, frente ao Ministério da Solidariedade e da Segurança Social. A 6 de Junho, em Lisboa, vai realizar-se uma iniciativa nacional sobre a Segurança Social. Iniciativas semelhantes ocorrerão em Julho, sobre a Educação, e em Setembro, sobre a Saúde.
A sustentabilidade da Segurança Social e, em geral, das políticas sociais, foi abordada no documento que a Comissão Executiva da central divulgou a 23 de Abril, quando anunciou estas iniciativas, em resposta à «pressão do Governo PSD/CDS e das forças conservadoras que o apoiam, no sentido de desmantelar as funções sociais do Estado».
A campanha em curso «visa persuadir os cidadãos de que as políticas sociais têm custos que as condições económicas do País não permitem suportar», mas «esta argumentação não é séria».

domingo, 13 de maio de 2012

"Esquerda Democrática" coliga-se com PASOK e Nova Democracia: A austeridade pode continuar!


1 leitores

Novo governo duraria até 2014, até às eleições para o Parlamento Europeu.
A possibilidade da Grécia ter um governo maioritário, favorável à manutenção do país no euro, renasceu ontem, depois do líder dos socialistas do Pasok, Evangelos Venizelos, ter convencido a ‘Esquerda Democrática' a apoiar uma grande coligação durante apenas dois anos. "Proponho a formação de um governo ecuménico que respeite o mandato do povo", disse Fotis Kouvelis, líder do ‘Esquerda Democrática', com 19 deputados. O dirigente socialista classificou o encontro como "um bom augúrio", sendo a proposta "responsável e concreta".
Caso o partido pró-euro ‘Nova Democracia' esteja disposto, hoje, a juntar-se a estes partidos, a formação de um executivo maioritário para o país torna-se possível, em particular, porque as sondagens indicam que 63% dos gregos apoiam uma coligação. As notícias foram recebidas com entusiasmo pelos mercados. A Bolsa de Atenas ganhou 4,19%, a primeira subida desde as legislativas de domingo. "Há uma tentativa de remendar as coisas na Grécia. Eles vão tentar ficar no euro, mas não sei se vão conseguir", disse o gestor de fundos Michael Strauss, citado pela Bloomberg.
Os analistas e a União Europeia continuam, no entanto, cépticos face ao cenário de sucesso dos socialistas. Um dos problemas, notam, é o facto do ‘Esquerda Democrática' aceitar ficar no euro, mas rejeitar as condições do resgate do país. Bruxelas consente ajustes marginais ao programa da ‘troika', mas alterações de fundo que dão acesso ao novo empréstimo de 130 mil milhões de euros



Nota de tripalio: Merkel está feliz, pode continuar a esfolar o povo grego, os gregos vão uma solução "realista"....quando a realidade é que em cada 3 gregos um está abaixo do limiar da pobreza!

Italianos revoltados com aumento brutal de impostos...

com a média de um suicídio por dia , em especial de pequenos comerciantes a revolta começa a alastrar... com Livorno ( terra de que já aqui falámos por outros motivos) e Nápoles a serem o rastilho da contestação. Também na Irlanda Há um movimento de contestação ao IMI lá do sítio , que custa apenas cerca de 100 euros... e que centenas de milhar se recusam a pagar.

a time for love, bernardo sasseti trio

sábado, 12 de maio de 2012

Em Espanha há indignação a sério...milhares permanecem no centro de Madrid

Milhares de manifestantes permanecem no centro de Madrid após limite imposto pelas autoridades


Vários milhares de manifestantes permanecem no centro de Madrid, a capital espanhola, desafiando o limite imposto pelas autoridades para desmobilizarem o protesto contra a austeridade convocado para hoje, um ano após o nascimento do movimento dos indignados.

Segundo a edição online do diário espanhol El País, a situação está calma na Puerta del Sol, no centro de Madrid, estando previsto um minuto de silêncio para a meia-noite local.
Após esse "grito silencioso", antecipa o El País, ou a concentração se dissolve de forma pacífica, ou a polícia será forçada a intervir para pôr fim ao protesto, que estava autorizado apenas até às 22:00 locais.
Segundo o mesmo jornal, o Ministério do Interior espanhol assegurou que o forte dispositivo policial que permanece no local (dois milhares de agentes presentes) não tem como objetivo entrar em confronto com os manifestantes, mas estabelecer limites à atuação dos mesmos.
A polícia chegou a controlar os acessos da estação de metro mais próxima da Puerta del Sol, epicentro da manifestação e local onde nasceu o movimento 15M, com o acampamento iniciado a 15 de maio de 2011, para garantir que os participantes não levariam objetos para voltar a acampar na praça.
Os números de manifestantes variam consoante as fontes, mas situam-se todos nos largos milhares, com a agência AP a contabilizar cem mil pessoas nas várias cidades espanholas (Barcelona, Bilbau, Málaga, Sevilha) que aderiram ao protesto.

A comunicação social pouco falou, mas o PCP esteve na rua no porto e foram muitos!!

Sem subsídios de férias e natal para sempre, Oh meu DEO

Cravinho leu o DEO, e meu Deus está previsto que nunca mais volta ( o DEO tem previsões até 2026). O engraçado é que os funcionários publicos muito avessos a lutarem, em se manifestarem , em especial os atingidos com mais força ( médicos, tec superiores, professores ) não se mexem , não se chateiam muitos e ainda acreditam no pai natal...E são em grpsso votantes em PSD, CDS e PS....Por mim estarei em todas , em todas acções de rua porque isto não vai lá com Tribunais, muito menos o Tribunal Constitucional ( que tem a decisão pendente)

"desemprego pode ser oportunidade de mudar de vida", disse Passos, ... em regra para pior!

A mudança de vida é em regra para pior, a treta do empreendorismo é mesmo treta, pois as pessoas não têm dinheiro para investir e mesmo que tenham neste cenário é um riscpo enorme, e para além disso a banca não empresta. e para mais Passos Coelho fala de cor, pois nunca esteve desempregado....A solução para muitos é sair do país e pode mudar a vida da pessoa,com muito esforço e sofrimento por vezes,  mas não melhora certamente o cenário do país...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Forgoten Sons, Marillion

PSD /CDS aprova Código de Trabalho, com abstenção do PS... mais uma abstenção violenta para os trabalhadores

O papel do PS mantém-se, um papel nojento fingindo estar contra as políticas de miséria. Agora foram as alterações ao Código do Trabalho, com a retirada das férias ( menos 3 dias majoração) , menos 4 feriados, adaptabilidades individuais e bancos de horas individuais... em que o Ps se absteve, apesar de ter tido 9 deputados a votar contra....O Ps mantém se igual a si mesmo, um papel de enganar os trabalhadores, de colaborar com as "austeridades", e de as incentivar!

Se houver novas eleições na Grecia, syriza vai na frente... a Alemanha não vai ficar feliz!

primeira sondagem publicada depois das eleições de domingo na Grécia mostra que a Esquerda Radical de Alexis Tsipras está a ganhar terreno, informa a Reuters.

O Syriza conta com 23,8 por cento das intenções de voto, o que demonstra que os gregos inclinam-se cada vez mais para o rasgar do programa da troika.

A haver uma nova ida às urnas, caso falhem as tentativas de formar governo, a Nova Democracia conta com apenas 17,4 por cento das intenções de voto, e o Pasok com 12,6 por cento.

No entanto, a mesma sondagem demonstra que dois em cada três eleitores preferem um governo de coligação à realização de novas eleições.

Nota tripalio: ainda vão fazer de forma a que não haja eleições....

Lucro da EDP de 337 milhões e os amigos que ganham com isso

O Primeiro de Janeiro
Deixo aqui parte do texto de Paulo Morais, professor universitário:

".... acresce que a EDP arroga-se a estar à margem da lei. bem recentemente lançou uma campanha publicitária utilizando crianças, visando venda de serviços que não têm relaçâo directa com a sua faixa etária... o que é interdito pela. O que só é pssível porque dispõe de uma enorme influência sobre o poder político. Eduardo Catroga, em nome do PSD, advogava a redução das rendas pagas à empresa, para logo a seguir defender, enquanto presidente da eléctrica, a manutenção do seu pagamento.A ministra Assunção Cristas e o deputado Mesquita Nunes estão ligados ao escritório de advogados que assessora a sociedade nos seus maiores processos, enquanto tutelam e fiscalizam negócios em que o estado tem favorecido descaradamente a empresa. O deputado Pedro Pinto, é consultor de empresas intimamente dependentes da EDP. E muito mais. Há políticos de de duas caras. Duas caras e muitas coroas. Por outro lado, todos os que se opoem ao poder da electrica, como o ex-secretário de estado Henrique Gomes, que pretendia reduzir-lhes as rendas em 165 milhões, são convidados a demitirem-se. Como a EDP beneficia de favores politicos sem limites por parte dos politicos sem vergonha, estamos condenados à servidão a uma organização que já não é só uma electrica. é um estado dentro do estado"

21 mil milhões de euros, com BPN, e com as parcerias publico privadas.... que vamos pagar até 2020

Portugueses vão pagar 21 mil milhões de euros nos processos do BPN e das PPP

Carvalho da SilvaCarvalho da SilvaImagem: LUSA
“Nós estamos forçados a pagar até 2020, só dos custos da Parcerias Público Privadas (PPP) e do descalabro do BPN, 21 mil milhões de euros. Já está na conta para pagarmos”, declarou.
Carvalho da Silva falava a uma plateia de estudantes do Instituto Politécnico de Bragança, numa conferência sobre trabalho e desigualdades perante a crise, onde defendeu ser necessário “romper com isto” e questionou os sacrifícios que estão a ser pedidos aos portugueses.
O dirigente sindical considerou que a riqueza do país “não pode continuar assim” e que os problemas não se resolvem “por imposições autoritárias: têm de ser discutidos na sociedade”.
“Temos de contrapor à crise uma crítica acutilante que abra caminhos alternativos, a crise não pode acabar por ser a submissão às inevitabilidades e a poderes desequilibrados que, em regra, vêm associados ou são construídos com o próprio conceito de crise”, declarou.
Carvalho da Silva defendeu ainda a necessidade de “um sistema financeiro, bancário, que apoie o desenvolvimento privado e público e das atividades que o país possa desenvolver”.
“Como é que se pode dizer às pessoas que sejam empreendedores, criem emprego, quando as pessoas não têm no sistema financeiro disponibilidade para apoiarem as iniciativas? Isto é uma vigarice, anda-se a enganar as pessoas”, afirmou.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Pingo Doce : agora os fornecedores vão pagar a campanha....

Fonte oficial da Jerónimo Martins, liderada por Pedro Soares dos Santos, garante que “não estamos a repercutir a acção do 1º de Maio nos fornecedores”

Fornecedores que não aceitem “pagar” o custo da campanha temem que os seus produtos sejam retirados dos supermercados do grupo JM.
Os fornecedores dos supermercados Pingo Doce, detidos pelo grupo Jerónimo Martins, estão a ver os seus piores receios confirmarem-se: os custos da polémica campanha de 50% de desconto em compras a partir de 100 euros, realizada no 1º de Maio, será repercutida nas facturas que os produtores vão receber nas próximas semanas.
Fontes do sector das bebidas - em que se incluem sumos, águas, vinhos, refrigerantes e bebidas espirituosas - confirmam ao Diário Económico que "a promoção, decidida de forma unilateral pelo Pingo Doce, será paga pelos fornecedores".
Confrontada com esta acusação, fonte oficial do grupo liderado por Pedro Soares dos Santos defende que "não estamos a repercutir o investimento que fizemos na acção do 1º de Maio nos fornecedores", admitindo apenas que o Pingo Doce "trabalha com mais de dois mil fornecedores e alguns estão alinhados com o reforço de competitividade que o Pingo Doce está a fazer".
A cadeia de supermercados assumiu recentemente que iria apostar numa política de preços baixos e na marca própria como estratégia para contornar a redução do consumo e, em consequência, no volume de vendas
A Centromarca, entidade que reúne as empresas de produtos de marca, reconhece haver uma preocupação generalizada nesta indústria quanto à transferência dos custos da campanha. A directora-geral da Centromarca, Beatriz Imperatori, confirma que "temos alguns indícios que esta tentativa [repercutir o custo nos fornecedores] estará a ser feita pelo Pingo Doce". E acrescenta: "Se vier a ser provada, é uma situação de abuso de posição dominante que deve ser investigada pelas autoridades competentes."
Beatriz Imperatori salienta que a Centromarca espera "que a Autoridade da Concorrência faça a monotorização dos casos, investigue e actue sem que seja necessário a existência de queixas formais dos fornecedores".
Um dos fornecedores do Pingo Doce, que prefere manter o anonimato, revela que depois da realização da campanha contactou a empresa para a informar da indisponibilidade em financiar a promoção. No entanto, a direcção do Pingo Doce transmitiu "que se iria passar esse custo para os fornecedores". "Foi transmitido que iriam pegar no custo da campanha, multiplicar pelo volume de vendas desse dia e debitá-lo no próximo pagamento", conta. A mesma fonte exemplifica: numa factura de 500 mil euros, perante um custo de 200 mil euros, o Pingo Doce só pagará cerca de 300 mil euros.
Fontes do sector das bebidas garantem que não há margem para poderem negociar ou rejeitar o pagamento deste custo, sob pena de sofrerem retaliações, como terem "produtos retirados das prateleiras" dos 369 espaços da marca. As mesmas fontes realçam que este é um cenário que põe em causa a sustentabilidade de pequenas empresas que dependem das vendas que fazem ao segundo maior operador nacional do sector da distribuição.
Entre os milhares de fornecedores do Pingo Doce, o Diário Económico contactou a Unicer e a Central de Cervejas, que recusaram comentar relações contratuais. Até ao fecho da edição não foi possível obter qualquer reacção da Sumol Compal .
A campanha realizada pelo Pingo Doce foi alvo de uma investigação por parte da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), que detectou indícios de violação do Decreto-lei nº 370/93, ou seja de venda abaixo do custo de produção nalguns produtos. O resultado desta investigação já chegou às mãos do presidente da Autoridade da Concorrência, Manuel Sebastião, que confirmou que "recebemos e já estamos a trabalhar sobre o assunto". O presidente da AdC garantiu que "vamos procurar ser tão rápidos quanto possível", mas alertou que este processo pode exigir provas adicionais.
Nota: A Alexandrita lucrou , armou se em santinha amiga do povo e agora esmigalha os produtores ( como sempre esmigalhou). é assim começou a guerra entre osa possuidores de empresas e umas esmigalham as outras....e o Pingo Doce esmigalha todos...

Eu minto, eu engano , eu ludribio....e digo que não!

O nosso Chicago Boy sabe que a mentira é arma essencial nas políticas liberais selvagens. Apologista e defensor da Escola de Chicago, Vitor gaspar tem aquele ar sério tecnocrata , muito bom para enganar tolos... se não se pereceber que aquilo é uma máscara para dar um ar técnico à politica de miséria. Ele mente, ele engana, ele ludribia mesmo e o povo está a sentir a perceber a maior mentira: depois da austeridade , vem mais e mais miséria e não vem recuperação nenhuma!